Notícias

Home/Notícias/Apolônias do Bem e Animale se unem em prol de mulheres que sofreram agressões

Apolônias do Bem e Animale se unem em prol de mulheres que sofreram agressões

A marca e Fábio Bibancos, idealizador da Turma do Bem, criam ação para arrecadar fundos para o projeto e contam com o apoio de diversas celebridades

12 mil é o número estimado de mulheres que sofrem agressões físicas no Brasil

De 2016 para 2017 aumentou 6,5% o número de feminicídio no Brasil, representando 4.200 casos de homicídios

Foi diante desses dados brutais que o dentista Fábio Bibancos, idealizador do projeto Turma do Bem, uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), que proporciona desde 2002 tratamentos odontológicos gratuitos a crianças carentes com o apoio de dentistas voluntários de todo país, criou o Apolônias do Bem, que foca em oferecer tratamento integral e também gratuito à mulheres que vivenciaram situações de violência e tiveram a dentição afetada durante essas agressões.

O projeto, que leva esse nome devido a personagem histórica que viveu em Alexandria e morreu no ano de 249, após ser presa, espancada e ter seus dentes arrancados, depende da iniciativa privada e teve uma redução significante dos tratamentos devido a crise econômica do país. Para reverter esse quadro, o projeto conta com uma nova ação criada para arrecadar fundos que irão ajudar na retomada do crescimento do número de mulheres amparadas – a marca Animale lança, dia 12 de novembro, a campanha “Mais um Sorriso”, iniciativa criada para dar vida a um modelo de t-shirt que terá renda 100% revertida para a causa. São 5.000 camisetas que podem ser encontradas em todas as lojas da marca e em seu e-commerce próprio pelo valor de R$298.

Assim como a Apolônias do Bem, a Animale, através da moda, tem como objetivo elevar a autoestima das mulheres com o intuito de empoderá-las, fazendo-as relembrar que são capazes de alcançar tudo que quiserem. É com um sorriso no rosto que a Turma do Bem e a marca criaram esta iniciativa, o mesmo sorriso que, com a ajuda de todos, podem ser devolvidos a centenas de mulheres que estão impedidas desse direito.

Além de ser o canal colaborador de venda, a Animale confirma sua própria contribuição garantindo a doação da renda da venda de 600 camisetas que serão adquiridas em nome de toda a equipe da marca.

Abraçando essa causa junto com a Turma do Bem, diversas personalidades aceitaram potencializar e dar ainda mais visibilidade a essa campanha. São elas: Mônica Martelli, Zezé Motta, Agatha Moreira, Rafa Brites, Julia Anquier, Lu Grimaldi, Monalysa Alcantara, Lan Lan, Luciana Braga e Lívia de Bueno .Essas são colaboradoras de uma série de vídeos nos quais apresentam relatos emocionantes de mulheres que foram amparadas pela Apolônias do Bem e convidam os espectadores a colaborarem, adquirindo a camiseta e compartilhando as informações da ação.

“Como marca, sempre estivemos atentos à filantropia e às instituições. Somos uma empresa grande e isso é nossa responsabilidade. Mas, quando conheci o Projeto Apolônias, algo mudou. Fiquei extremamente comovida com esta causa. Por isso, a vontade de lutar por ela, usar o que sabemos fazer para colocar luz numa questão tão grave e reverter uma quantia significativa, que faça a diferença. São mulheres vítimas de violência doméstica que tiveram sua dentição afetada e perderam assim o direito de sorrir. Perderam também sua autoestima nesse processo. A mulher é o principal ativo da Animale, por isso fazia completo sentido. Precisamos e podemos fazer a diferença. Hoje, meu propósito transcende o universo de varejo e de moda. Enquanto mulher, meu desejo é de me comunicar com a mulher, ajudar no processo de que ela se encontre, se conecte.”, comenta Claudia Jatahy, VP de estilo da Animale.

As peças estão disponíveis para compra a partir de 12/11 nas lojas físicas e no e-commerce próprio da marca.

Juntos, para espalhar sorrisos e mudar vidas.

#maisumsorrisoANIMALE

@ongturmadobem

@animalebrasil

 

Sobre a Apolônias do Bem

 

O Apolônias do Bem oferece tratamento odontológico integral e gratuito à mulheres que vivenciaram situações de violência e tiveram a dentição afetada durante as agressões.

Desde 2012, quando começou a ser desenvolvido, ele já garantiu atendimento a 1000 mulheres cisgênero e transgênero de todo o Brasil. As beneficiárias são selecionadas por meio de triagens, quando passam por um rápido exame oral, não invasivo, e respondem ao OHIP (sigla em inglês, que significa Perfil de Impacto de Saúde Oral), uma ferramenta científica que mede o impacto da saúde bucal na qualidade de vida de uma pessoa).

São priorizadas as mulheres com problemas odontológicos mais graves e OHIP mais alto, que sustentam a família e retomaram os estudos ou estão fazendo cursos de capacitação profissional.

Os tratamentos são oferecidos por meio de uma rede de dentistas voluntários, que realizam todos os procedimentos que as mulheres necessitam, independentemente da complexidade apresentada. Uma vez no programa, as apolônias (como as beneficiárias do programa são chamadas) e os profissionais que as atendem são acompanhados pelos funcionários da Turma do Bem até que os tratamentos se encerrem.

Como se tornar uma apolônia?

1. Ao entrar em contato com a TdB ou com um voluntário e pedir o tratamento. Será solicitado um B.O. (Boletim de Ocorrência) da agressão sofrida, posteriormente, ocorrerá uma entrevista (Skype ou pessoalmente) e o exame clínico.

2. Por meio de triagens em casas de apoio para vítimas de violência realizadas pela TdB.

3. Por meio das triagens com mulheres provenientes dos Tribunais de Justiça ou Comissões Especializadas dos Tribunais, segundo o protocolo firmado por cada parceria.

Seja um dentista de uma Apolônia!

Seja você é um cirurgião-dentista e quer ajudar mulheres vítimas de violência a voltarem a sorrir, atendendo gratuitamente em seu consultório, preencha o formulário, assine e encaminhe (digitalizado por e-mail, fax ou Correio) para a TdB.