AutorOsvaldo Novais

Home/Artigos Publicados por Osvaldo Novais

Inaguração da Any Rai no Barra Shopping

Regina Saada e Priscila Casz inauguraram a nova Any Rai, no Barra Shopping, com vip list da promoter Alessandra Amaral.

A taróloga Monika Nakamura fez atendimento personalizado com as convidadas e nos contou como atrair as melhores vibrações para 2019.

As 50 primeiras convidadas que chegaram ao evento ganharam um mimo da loja: Alessandra Amaral, nora de Gisela Amaral levou a filha Maria Fernanda Amaral para prestigiar e ficou encantada com a linda caixinha que ganhou e já foi guardando o brinco que comprou na loja, de cor verde-esmeralda na caixinha.

Veja nossa galeria completa na nossa fanpage.

Nas fotos: Patricia Casz, Alessandra Amaral, Carol Antunes, Liza Canha, Monika mgm Nakamura, Marlian Kenigsberg, Regina Saada, Mercedes Herrera.

Fotos: Paulo de Deus

Leia Mais

Recantos de Lisboa – Jardim do Torel e a Riviera portugues

Por Paulo Oliveira

Uma das mais belas ruas de Lisboa é a rua Júlio de Andrade – abastado banqueiro da burguesia lisboeta do século XIX.

Esta belíssima artéria, situada numa das colinas de Lisboa – Santana – liga o Campo Mártires da Pátria ao jardim do Torel.

Conhecida como a Riviera portuguesa, aqui se podem ver palacetes e moradias nobres de sonho. Um destes palacetes foi palco e cenário de filmes famosos como a Casa dos Espíritos.

Do alto deste Jardim-miradouro, junto do elevador do Lavra – o primeiro elevador da cidade – vislumbra-se uma magnifica panorâmica da Freguesia da Pena e da cidade de Lisboa.

Tem duas entradas, a principal pela Rua de Júlio de Andrade, perto do elevador do Lavra, e uma outra, mais abaixo, na Rua do Telhal.

Mais acima e para um momento de relaxe absoluto, podemos e devemos, fruir de uma das melhores vistas de Lisboa, na esplanada do Torel Palace – hotel de charme.

Daqui conseguimos vislumbrar o melhor de dois mundos: a agitação frenética da urbe e o sossego e placidez quase rural do local onde nos encontramos. Se o apetite for muito, podemos até saciá-lo no Cave 23.

São estes pequenos recantos que nos dão alento e sentido à vida.

Leia Mais

Gal Costa em show no Rio

A cantora Gal Costa realizou seu show na casa de espetaculos Vivo Rio, e contou com a presença de diversos famoso  como Erasmo Carlos, Sophie Charlotte, Martinalia, Paulo Gustavo, Sergio Marone, dentre outros.

Sophie Charlotte vai interpretar a cantora em filme em 2019. Sua alegria com o show era contagiante.

Fotos: Ricardo Nunes

Leia Mais

Alma Azulejada

Por Cecilia Ribas

A primeira matéria, não poderia ser melhor escolhida. Coloquei minha alma para homenagear o Artista Plástico Cosme Martins, completo, humano, carismático, simples e muito querido.

E onde seria essa homenagem? Nada mais,  nada menos, que o Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro.
Lugar perfeito para o artista Cosme Martins expor sua trajetória.
                    “ALMA AZULEJADA”
                      COSME MARTINS
                              40 ANOS
                 Curadoria: Carlos Dimuro
A exposição aconteceu de 31 de outubro até o dia 02 de dezembro, foi um sucesso!
Estar com este artista é sentir a simplicidade e doçura de um ser humano de muito brilho. Envolto pela sua arte, nos faz ter um olhar de admiração e desejar que a ascensão e o sucesso trilhem harmoniosamente entre o ser artista Cosme Martins e a sua “ALMA AZULEJADA”.
Leia Mais

Art Connection

Com objetivo de arrecadar verba para o projeto Art Connection a artista plástica Malu Rogers, esteve na loja Lafort VillageMall, recebendo convidadas para conhecer as peças exclusivas assinadas por ela para a marca Lafort.

Idealizado pela artista, o projeto Art Connection tem como objetivo levar arte-tela, tinta e pincel para alunos da Rede Pública de Ensino.

Fotos: Vera Donato

Leia Mais

Mobilidade

Por Claudia Braune
Nosso corpo é todo articulado para que possamos nos movimentar, dobrar esticar, girar, saltar, sacudir e vibrar – são qualidades de movimentos que um ser humano pode aprender e usar em suas atividades diárias. Os tecidos – musculos, tendões, articulações, cada qual com suas funções, formam o sistema músculo esquelético. Faz parte natural da vida, ir e vir com liberdade, sem dor, em busca do prazer, do bem estar, da nossa nutrição física e espiritual. Os anseios da alma clamam naturalmente pelas interrelações, que nos trazem sentido e um significado maior para a existência.
Minha formação como fisioterapeuta, como bailarina e amante da arte, me levou a uma busca aprimorada pela comunicação interna e  externa, onde me surpreendi quando as pesquisas científicas revelaram que  expressão corporal tem maior influência nas relações do que a linguagem verbal. O tom de voz e as expressões faciais podem mudar todo o sentido da nossa comunicação. Em toda a natureza as cores e os movimentos evidenciam sinais de liderança, hierarquia, sexo, poder ou acasalamento. Mesmo os vegetais seguem algumas movimento na comunicação com o meio ambiente.
A mobilidade corporal ajuda clinicamente e emocionalmente em todo o desempenho de vida pessoal e profissional. Por isso é tão importante em todas as fases da vida estimular o corpo, espreguiçar, lubrificar as articulações e  ganhar  flexibidade muscular. A flexibilidade nos ajuda a dançar pela vida, conduzir nosso corpo a lugares mais conscientes, entrar ou sair do ritmo a cada instante. O sentimento pode ser a música que inspira nossos gestos. Costumo dizer que antes do verbo,  nasce o gesto e este nos faz ter uma experiência mais sensorial do que aquele lugar racional de onde surgem as palavras.
Vamos arriscar mais gestos e menos palavras ao vento. Um gesto de aproximação é sempre mais contundente do que mil palavras. Estude seus gestos e sua aproximação do seu proprio coração, do momento presente e em seguida do seu próximo.
Bom final de semana.
Foto: PublicDomainPictures.net
Leia Mais

D’us Fecha uma Porta, mas Abre Dez

Por Estrella Assayag

“Deixar nossa mente em ordem é sempre bom, assim como saber que cada fase da vida pode não ser como as demais. Quando somos bem sucedidos, temos a tendência de querer passar todos os dias, todos os ano do mesmo modo, sempre com o mesmo desempenho na vida, o mesmo bem-estar. Desejamos conseguir tudo da mesma maneira, seja amor, saúde, prosperidade ou família, e isso não é real. Nosso processo de crescimento passa por fases e a vida nos apresenta mudanças. Mesmo com muito esforço, não conseguiríamos nos manter em um processo robótico.

Aceitar a Vida Como ela se Apresenta.

A realidade nos ensina que temos de aceitar a vida como ela aparece, sem tentar mudá-la. A própria vida nos ensina a lidar com esse processo – nos tornamos acostumados à sua dinâmica. A vida não é cega – ela é uma inteligência, uma consciência eterna da Árvore da Vida. Nem sempre há sentido em lutar contra uma fase difícil em determinado setor. É melhor dar atenção a outro setor, que esteja numa fase mais favorável naquele momento.

Transformar a persistência em obsessão não é o sentido positivo da palavra “persistência”; seu sentido espiritual é não perder a esperança. Mesmo que aparentemente estejamos em uma fase não apropriada, devemos perceber outro setor de nossa vida que esteja em movimento e nos concentrar nele. Enquanto esperamos pelo melhor momento, o processo espiritual continua, pois os processos são paralelos.

É por esse motivo que temos a expressão: “Deus fecha uma porta mas abre dez.”

Isso é a Árvore da Vida, a consciência eterna de nossa existência.”

Quando chega o melhor momento, a semente espiritual brota e modifica nossa existência.

Uma boa semana a todos!

Leia Mais

Évora, pra começar

Por Andrea Monteiro

 

Olá! Foi com uma alegria imensa no coração que aceitei o convite do Luis Villarino para contribuir no Portal. Será um prazer apresentar a você a beleza da Espanha e de Portugal, a história da sua gente, paisagens, cultura, modo de ver e viver a vida. E, claro, cantos e encantos para conhecer em sua próxima visita.

Escolhi, para essa primeira matéria, uma cidade encantada no Alentejo que, como o próprio nome sugere, é uma região situada além do Rio Tejo, se considerarmos a capital portuguesa, Lisboa, como ponto de partida geográfico. O Alentejo é a maior região territorial de Portugal e sua cidade mais expressiva é Évora. E é sobre ela que vou falar um pouquinho. Mas, só um pouquinho, aquele tanto suficiente para despertar o interesse em conhecer. Porque Évora é uma cidade que não se esgota!

Com pouco mais de cinquenta mil habitantes hoje, um dos primeiros destaques do município é o centro histórico, dos mais ricos e bem preservados de Portugal, motivo pelo qual recebe o título de Patrimônio Mundial da Unesco desde 1986. Vale destacar que Évora tem uma rica e antiguíssima história, que remete a mais de 5 mil anos, como pode ser comprovado por monumentos megalíticos instalados próximos ao município. (Anta do Zambujeiro e Cromeleque dos Almendres, história para mais um capítulo!).

Construções típicas, casarios brancos com seus umbrais de portas e janelas, em sua maioria, amarelos, muito gosto na decoração das cortinas – que parecem saber que serão alvos de fotografias de gente do mundo todo -, ruas de calçamento de pedra. Um dos maiores segredos que posso vos dar é deixar-se perder pelas ruas e ruelas, a pé, até encontrar, numa virada de esquina, alguns de seus monumentos mais importantes. Vou deixar aqui três, dos que vêm se afirmando como os mais visitados:

  • Templo de Évora: é um dos monumentos romanos mais importantes de Portugal, está no ponto mais alto da cidade e fez parte do fórum romano. Data do século I, tendo sido construído para homenagear o Imperador Augusto. Tempos mais tarde, passou a ser conhecido como Templo de Diana, por se referir a uma lenda sobre da Deusa Diana, da mitologia romana, Deusa da Caça, isso já bem mais recentemente, por volta do século XVII.
  • Sé Catedral: praticamente em frente ao Templo de Évora, construída entre os séculos XIII e XIV, em estilo gótico, é uma das catedrais medievais mais importantes do país, tendo sua arquitetura sido inspirada na Sé de Lisboa. No século XIV, foram esculpidas estátuas dos apóstolos na porta principal, uma verdadeira obra-prima da escultura medieval portuguesa. – vale a pena parar alguns minutos para apreciar cada detalhe e, claro, ir em busca da selfie perfeita! No século XVIII, a capela-mor foi reconstruída em estilo barroco. É uma maravilha em termos de preservação e conservação, de impressionar até o visitante mais desavisado.
  • Capela dos Ossos: situada na Igreja de São Francisco, foi construída entre os séculos XVI e XVII, por iniciativa de três frades franciscanos, que queriam proporcionar uma melhor reflexão sobre a brevidade da vida humana. Tem suas paredes sustentadas por ossadas originárias das sepulturas de igrejas e cemitérios da cidade. São milhares de ossos humanos que ilustram a ideia dos monges fundadores, e nos faz, realmente, enxergar o conceito que vem impresso já na entrada da capela: “Nós ossos que aqui estamos, pelos vossos esperamos”. Eu, particularmente, sempre que vou a Évora faço questão de entrar na Capela. Acho uma sensação única perceber o contexto e as verdades que ali estão!

Parece muita coisa, não é mesmo? E, garanto, é só o começo.

Espero que tenham gostado e convido-vos a seguirmos juntos nesta jornada de conhecimento e, porque não, de reconhecimento das belezas de Portugal e Espanha.

Um beijinho e até sexta!

Andrea Monteiro é brasileira, publicitária, mãe do Menino da Bola, escritora e concierge de turismo em Portugal.

 

Leia Mais

Biblioteca Nacional entrega Prêmio Literário

A Biblioteca Nacional entregou na tarde de 4 de dezembro, os prêmios literários de 2018, em seu auditório no centro do Rio. O prêmio existe deste 1994 e premia nove categorias, oferecendo R$ 30 mil ao vencedor de cada uma delas. A presidente da instituição, Helena Severo, ressaltou a importância dele como incentivo aos escritores brasileiros e disse esperar que continue ainda por muitos anos. “Existem políticas de Estado e políticas de governo. Este prêmio é de Estado e espero que continue assim para sempre”.

A cerimônia foi carregada de emoção nos discursos de todos os vencedores, como o de Francesca Angiolillo, que dedicou o prêmio à sua mãe que “acredita em mim muito mais do que eu mesma” ou de Lilian Schwarcz, vencedora da categoria ensaio social, que lembrou de suas pesquisas na Biblioteca Nacional.

Os vencedores foram:

Conto – Gustavo Pacheco, com a obra “Alguns humanos”, Tinta-da-China.

Ensaio Literário – Madalena Natsuko Hashimoto Cordaro, com a obra “A erótica japonesa na pintura & na escritura dos séculos XVII a XIX”, Edusp.

Ensaio Social – Lilia Moritz Schwarcz, com a obra “Lima Barreto: triste visionário”, Companhia das Letras.

Literatura Infantil – Lúcia Hiratsuka, com a obra “Chão de peixes”, Pequena Zahar

Literatura Juvenil – Lourenço Cazarré, com a obra “Os filhos do deserto combatem na solidão”, Cepe Editora.

Poesia – Francesca Angiolillo, com a obra “Etiópia”, 7 Letras.

Projeto Gráfico – Gabriela Marques de Castro, Paulo André Chagas e Gustavo Marchetti com a obra “O nome do medo”, com organização de Lisette Lagnado, Museu de Arte do Rio / Instituto Odeon.

Romance – Evandro Affonso Ferreira, com a obra “Nunca houve tanto fim como agora”, Record

Tradução – Maurício Mendonça Cardozo, com a obra “De minha vida: poesia e verdade” (Johann Wolfgang von Goethe), Editora Unesp.

Leia Mais

Limpeza de final de ano

Por Mônika mgm Nakamura

Olá queridos, tudo bem? Hoje vou falar sobre um assunto muito importante que é a faxina de final de ano! Muitas pessoas não sabem mas, é de suma importância para o bem estar pessoal e do ambiente de uma casa ou escritório que seja realizada antes do término do ano uma grande limpeza astral dos locais onde se vive ou trabalha. Isso faz uma enorme diferença em nossas vidas.

É necessário que se reserve algum tempo esse mês de dezembro para essa função. Recomendo começar pelos armários retirando tudo o que não se usa mais. Roupas, objetos, utensílios, sapatos, produtos de beleza, cremes, garrafas, brinquedos e até comidas que porventura estejam na dispensa há muito tempo sem o devido consumo. Aos poucos vamos perceber que muitos desses itens estão mesmo “esquecidos” por nós dentro dos armários e podemos nos surpreender com a quantidade de coisas que estávamos armazenando sem nos darmos conta. Itens que não são utilizados e que possuem uma energia parada o que reflete na vida da pessoa de um modo prejudicial atingindo inclusive a saúde física, mental e espiritual da vida de um indivíduo.

Pense que uma roupa que não se usa já há muitos meses ou anos não será mais usada. Mas, muitas vezes o apego faz com que a pessoa se agarre a algo que não tem mais a menor serventia. Esse comportamento faz projetar na vida da pessoa uma energia parada que faz com que as coisas não possam evoluir de maneira satisfatória. Uma sugestão interessante é que toda vez que comprar algo novo, retire pra doação duas peças antigas. Garanto que não fará falta alguma manter essa atitude até se tornar um hábito saudável. Assim a energia fluirá e coisas novas muito benéficas encontrarão um meio de chegar.

O soltar é fundamental nessa limpeza de final de ano. Após os armários serem esvaziados, faça uma também uma grande limpeza na casa começando dos fundos pra frente e passando uma mistura de anil com água em todo piso. Acenda incensos de canela e lavanda e passe pelos ambientes. Limpe as geladeiras e fogões. Deixe o fogão sempre brilhante para que a prosperidade possa vir a galope! Mantenha as portas dos banheiros fechados para que a energia não se perca e seja “roubada”. Troque os lençóis e fronhas por jogos novos. Compre flores brancas e amarelas.

Fazendo assim a energia do novo ano entrará com um alto nível de luz dentro de sua casa e escritório. Sua vida estará conectada com uma energia sutil e generosa e vibrações irão sintonizar com a positividade plena.

Bjs e luz!

Até a próxima semana!

Leia Mais