Categoria : Entretenimento

Home/Arquivo por Categoria" Entretenimento" (Página 2)

Castelos e redes

Os Dois Cia de Dança apresentou duas peças de dança Castelos e Redes no Sesc Copacabana. O programa consiste em duas coreografias com os bailarinos Davi Benaion e Ique Moraes. Entre temas ambientais e materiais de construção civil, as duas obras intercalam objetos do cotidiano com as sapatilhas e os corpos.

 

Leia Mais

Fernanda Abreu na Praça Mauá

Para quem gosta de assistir à Copa na rua, com telão e torcida em coro, a Praça Mauá vai ser local para jogo e festa nesta Copa. Na abertura do torneio, na 5a feira, Fernanda Abreu foi uma das atrações, junto com o dj João Brasil. Para amanhã, dia de jogo do Brasil, a programação conta com Iza e Bochecha para animar a praça.

 

Fotos: Ricardo Nunes

 

 

Leia Mais

Travessia: livro da família Assayag

Por Estrella Assayag

Comparado ao Carnaval por sua grandiosidade, o Festival Folclórico de Parintins, no Amazonas, é um dos maiores eventos festivos do Brasil. A festa acontece no último final de semana de junho, na Ilha de Tupinambarana, parte da cidade de Parintins, a 420 km de Manaus. Folclore e alegria, bois e competição, azul e vermelho, são termos que podem definir a celebração. Atualmente, o espetáculo acontece durante três dias no Centro Cultural de Parintins, conhecido como Bumbódromo. Dois grupos centenários de Boi-Bumbá, o Caprichoso (azul) e o Garantido (vermelho) encenam as lendas locais, com alegorias, cantos e dança a Festança será nos dias: 29, 30/06 e 01/07. Para os Assayag, não existe diversidade – azul ou vermelho.

Os Assayag quando fazem festa fazem pra valer! Nessa, me incluo. Adoro fazer eventos! Dia 28 de junho, o paraíso à beira do lago Macurany em Parintins, a ilha da magia, do encanto e do amor vai  tremer com a reunião da família Assayag para receber seus convidados em homenagem aos 130 anos que a nossa família vive em Parintins. O que falar dos Assayag? Somos abertos a todos. Somos uma grande família que se ama, se respeita e busca a melhor convivência, através de nosso sorriso largo.

A festança se dará com o lançamento do livro Travessia. Começa com os Assayag  saindo do Marrocos, atravessando o Atlântico e aportando em Belém do Pará, até chegarem em Parintins. O livro mostra as dificuldades, as aspirações, o apelo e o trabalho dos Assayag até os dias de hoje. São relatados fatos antigos ocorridos em Parintins, desde 1888, ano da “Libertação dos Escravos” no Brasil, quando os Assayag chegaram em Parintins. O evento contará com a presença dos Assayag do Rio de Janeiro, São Paulo, Belém, Belo Horizonte, Brasília e outros. As mestres de cerimônia são minhas queridas primas, filha e sobrinha do autor de Travessia, Simão Assayag (Dúnia e Sarah Assayag).

Entrevistei a Sarah Assayag online, querendo saber como estão seus sentimentos para apresentar e estar com nossa família toda reunida. Sarah me disse:

– É uma mistura de sentimentos bons, uma ansiedade para que chegue logo essa festa tão esperada por nós! Tudo é festa rsrsrs. Chega a ser engraçado…primos e tios que ainda não conhecemos, mas é transmitido uma energia positiva imensa. Eu e Dúnia estamos radiantes.

Eu, Estrella  Levy Assayag, agradeço  por essa homenagem, carinho, emoção  ímpar, dedicado pelos e para nós Assayag. Sou grata a todos vcs, Simão  e Graça Assayag pela receptividade. Tenho muito orgulho de pertencer a essa tribo. Amo ser Assayag. Amo vocês.

O homem de La Mancha

Nessa segunda-feira, dia 11, rolou uma sessão especial do musical ‘O Homem de La Mancha’, de Miguel Falabella, sobre as aventuras de D. Quixote, no Teatro Bradesco, no Rio. Produzido pelo Atelier de Cultura, a montagem tem no currículo o Prêmio APCA de melhor espetáculo teatral, além do Prêmio Bibi Ferreira de Melhor Musical.

Veja nossa galeria completa na nossa fanpage no Facebook.

Fotos: Eny Miranda.

 

Leia Mais

Hanna e a bossa nova

A cantora Hanna fez um show em homenagem aos 87 anos de João Gilberto.

Clássicos da bossa nova como Desafinado, Chega de Saudade, Ela é Carioca, entre outros, encantaram o público.

Hanna tem experiência de palco, sendo uma porta-voz desse jeito carioca de cantar pelo mundo afora: França, Grécia, Suíça, Itália ou Marrocos, sua voz já alcançou públicos bem diversos. Em breve ela começa uma nova turnê.

O J Club lotou e os ingressos foram esgotados, o Show teve início às 21hs e contou com a presença de Luis Villarino e Claudio Cavas, do casal Marcelo Sousa e José Antonio Monteiro que irão oficializar a relação em agosto, Lalá Von Gutenberg, Carlos Alberto e Beth Serpa, ator Pedro Saeys , o produtor Marcus Brandão, a mãe de Monique Evans – Conceição Cury  entre outras.

Fotos: Marcelo Borgongino

 

Leia Mais

Viva a Casa Villarino!

A Casa Villarino é desses recantos no Centro que trazem tradição em seu nome. São 65 anos de portas abertas neste mês de junho! É motivo de comemoração: o público segue fiel, os quitutes continuam um sucesso e tudo isso é fruto de muitas histórias.

Tudo começou com o espanhol Luis Villarino Peres. Ele que abriu a casa que, anos depois, teria o famoso encontro de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, apresentados por Lúcio Rangel.

Pelas conversas do bar também surgiu o termo bossanova, alcunhado pelo escritor Fernando Lobo, pai do músico Edu Lobo, que depois também se aproximaria de toda essa turma musical.

Com tanta bagagem, certamente é um lugar que vale a pena conhecer. Vida longa à Casa Villarino!

 

 

Leia Mais

Jorge Aragão e Thiago Brava no Pier Mauá

O final de semana contou com os shows dos cantores Thiago Brava, sucesso sertanejo, e pelo bamba Jorge Aragão, no evento Biergarten no Pier Mauá. Thiago estreiou nos palcos cariocas com o reforço  no coro dos atores Joaquim Lopes, Maria Joana, Rafael Zulu e  Gabi Lopes. Já o mestre Jorge Aragão retornou para um show do projeto Mesa de Jorge e levou um público de mais de 2 mil pessoas ao Armazem 2 do Pier.

Sua filha Vânia, que o acompanhou na programação, foi a inspiração para a composição de “Coisinha do pai”. Junto com as filhas assistiram ao show que teve canções como “Eu e você sempre” e “Na rua, na chuva, na fazenda” do Kid Abelha em versão samba, além do tema da Globeleza, também composto por Aragão.

Organizado para receber transmissões da Copa e programação de shows, o Biergarten ainda receberá nomes como Tropkillaz, bloco Beija Eu e Samba de Santa Clara no Pier Mauá com entrada gratuita.

 

Leia Mais

Bon vivant

É-se realmente bon vivant por se andar em festas?

Por João Libério

Porque é visto, por muitos, como negativo, o facto de andarmos a divertir-nos em festas? Porque se é criticado ou mal visto, por frequentarmos eventos? Seremos todos, realmente, meros bon vivant?

Quem sempre adorou uma festa e gostou de agitação, agora pode ser mal conotado… Infelizmente, a noite tem ficado diferente. Antes, ir a uma festa era uma coisa mais charmosa, mais “noir”. Mas hoje em dia, as festas, por melhor que sejam, já não têm o charme de antigamente. Já não possuem tanto glamour e, talvez por isso, aos olhos de muitos, deixou ser de “bom tom” andar de festa em festa. E os convivas passaram a ser considerados meros bon vivant (aquele que aprecia os prazeres da vida, aquele que gosta de se divertir acima de tudo, boémio,folgazão…)

Para mim, que, por vezes, realizo festas e eventos e vou a outros tantos, tratam-se, simplesmente, de pessoas que sabem viver a vida intensamente, recebendo sensações gratificantes ou tirando partido de cada situação. Não se pode viver só de dia e passar o resto do tempo a “morrer”… Há que saber onde e como se divertir. E as pessoas que o fazem, têm responsabilidades, têm os seus afazeres, mas também gostam de viver um lado mais colorido da vida e, indo a eventos e festas, preenchem a sua vida com novas histórias, memórias e experiências intensas, que fazem a diferença.

É claro que o conceito de bon vivant pode ter conotações negativas na nossa sociedade. Ou seja, se alguém for assim “catalogado” é geralmente visto como sinónimo de pessoa vaga, que não gosta de trabalhar, ou que não se preocupa adequadamente com as coisas importantes da vida com as que se deveria preocupar. No entanto, prefiro antes ver que se trata de alguém que aprecia e desfruta de todos os momentos da vida, que presta atenção em tudo que acontece ao seu redor, maravilhando-se da beleza que é este mundo. Que podem encontrar o lado positivo das coisas, sejam boas ou não…

Por isso, cuidado, porque por detrás dessa imagem de bon-vivant, que sabe gozar a vida, pode existir alguém que, embora de sorriso fácil, seja tão simples quanto qualquer mortal, com os mesmos problemas e virtudes. Que vive o seu trabalho, os seus dias de festa, de eventos sociais, as suas famílias, amigos, a morte de entes queridos, o nascimento de outros… Há que viver de tudo, e o que normalmente acontece é que todos nos esforcemos por viver coisas mais positivas do que negativas. No entanto, um bon vivant, sem dúvida, experimenta ambos os tipos de situações, embora viva, talvez, 90% de situações boas e apenas 10% de ruins. Por conseguinte, que mal há em nos divertirmos? Acho que vale a pena ser-se um bon vivant, com conta, peso e medida.

No que a mim me toca, adoro fazer festas e convidar as pessoas que gosto para, juntos, nos divertirmos e termos boas histórias para contarmos mais à frente…

Leia Mais

Dia de Portugal

10 de junho é Dia de Portugal e Camões! A data marca a data de morte do escritor português, autor de Os Lusíadas, livro que nos conta a grande epopéia portuguesa. Ao longo da história, a data teve diferentes razões de comemoração, mas hoje se celebra com festa em diferentes pontos do país.

 

Arthur Moreira Lima em apresentação única neste sábado

O pianista Arthur Moreira Lima apresenta hoje o concerto DE BACH A PIXINGUINHA, em que interpretará obras de Bach, Mozart, Beethoven, Chopin e Liszt até Pixinguinha, Villa-Lobos, Ernesto Nazareth e Luiz Gonzaga, na Sala Municipal Baden Powel, às 20h.

O músico declara que o repertório foi pensado para todos, alternando obras clássicas e populares: “Queremos levar a todos aquela música que vem, através dos tempos, encantando qualquer ouvinte, desde que lhe dê oportunidade de conhecê-la”.

Carioca, Arthur começou a tocar piano ainda menino, com 6 anos de idade. Aos 8 já se apresentava com a Orquestra Sinfônica Brasileira. Desde então, foram inúmeros prêmios e viagens internacionais promovendo a música brasileira. Seu trabalho dedicado a reviver a obra de Ernesto Nazareth teve ampla repercursão.

Desde 2003, tem percorrido mais de 500.000 Km e executou mais de 500 concertos, pelo interior do Brasil inteiro em seu caminhão-teatro, já tendo tocado para cerca de 1 milhão de pessoas, em lugares os mais distantes, que antes jamais tinham presenciado um concerto de piano.

Sala Municipal Baden Powell

Av. Nossa Senhora de Copacabana 360.

Tel. (21) 2547-9147 / 98675-4222

Leia Mais