Categoria : Entretenimento

Home/Arquivo por Categoria" Entretenimento" (Página 72)

Cinco programas imperdíveis para o fim de semana no Rio de Janeiro

Confira uma seleção especial para deixar seu fim de semana ainda mais animado

 

Em 1989, Lícia Manzo teve a ousada ideia de adaptar o clássico do cinema Lili (1953) para o formato de um espetáculo infantil. A escritora foi tão feliz na tarefa que, 25 anos depois de sua primeira encenação, o texto volta ao circuito sem perder o frescor. Isaac Bernat dirige a trama em torno do circo mambembe El Fanfarrão. Três divertidos palhaços (Debora de Magalhães, Izak Dahora e Laura Becker), alternando-se nos papéis de animadores da plateia e personagens da história, apresentam ao público a protagonista Lili (Gabriela Carneiro da Cunha), menina órfã do interior que viaja para o Rio atrás de emprego. No caminho, ela esbarra com a esfuziante trupe circense, composta de tipos como o vaidoso e sedutor mágico Markus (Tiago d’Avila), a confidente mulher barbada (papel no qual a consagrada Soraya Ravenle se reveza com Marcelle Sampaio, sem prejuízo algum para o espectador) e o bonequeiro apaixonado Pedro (Gabriel Vaz). A deliciosa trilha sonora original de Eduardo Dussek é defendida ao vivo pelo elenco, munido de instrumentos de percussão (70min). Rec. a partir de 4 anos. Estreou em 6/8/2014.

Oi Futuro Ipanema (130 lugares). Rua Visconde de Pirajá, 54, Ipanema, ☎ 3131-9333. Sábado e domingo, 16h. R$ 15,00. Bilheteria: a partir das 14h (sáb. e dom.). Até 21 de setembro.

 

 

Caminho mais curto entre simplicidade e sofisticação, o traço genial de José Carlos de Brito e Cunha (1884-1950), ou J. Carlos, como assinava seus trabalhos, já garantiria seu lugar de destaque nas artes gráficas brasileiras. A mostra em cartaz no Centro Cultural Correios revela, no entanto, que o talento do artista foi muito além da ilustração. Sua incursão pela tipografia rendeu letras de desenho rebuscado e ousadias, a exemplo da criação de uma capitular (em geral o maior caractere da página) minúscula. O mesmo destemor é exibido na diagramação concebida por ele para publicações importantes de seu tempo. Na revista de variedades Para Todos, molduras ornadas margeavam as páginas e fotos tinham seu fundo recortado em formas geométricas menores do que o personagem clicado, proporcionando a ilusão de tridimensionalidade. Outra faceta de seu trabalho, a publicidade também se faz presente em diversos anúncios de inspirado estilo art déco. Reproduções dominam o acervo de mais de 300 peças — o que só realça a relevância das oitenta ilustrações originais expostas.

Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 28 de setembro.

 

 

Entre 1973 e 1990, a ditadura comandada pelo general Augusto Pinochet deixou cerca de 3 000 mortos ou desaparecidos no Chile. Uma das vítimas, a jovem marxista Colorina está no centro do drama Tejas Verdes, do dramaturgo espanhol Fermín Cabal. No ano do cinquentenário do golpe militar brasileiro, a companhia Teatro do Pequeno Gesto encena uma pertinente adaptação do texto, batizada de Casa da Morte. Com dramaturgia de Fátima Saadi e direção de Antonio Guedes, a montagem apaga referências ao Chile presentes no texto original. Associada à mudança do nome da personagem para Canarinho, essa opção aproxima a obra da nossa realidade. Valorizado por projeções e sonoplastia, o cenário de Doris Rollemberg sugere uma sala de tortura. De cara limpa, em figurinos escuros e neutros, Fernanda Maia, Marcos França e Priscila Amorim interpretam com galhardia personagens envolvidos na história de Canarinho, além da própria. A peça, estruturada em monólogos nos quais o elenco parece depor para a plateia, reforça um caráter memorialista (60min). 14 anos. Estreou em 8/8/2014.

Espaço Sesc — Sala Multiuso (50 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2548-1088. Sexta e sábado, 19h; domingo, 18h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até domingo (31).

 

 

Na história da axé music, os dois são protagonistas. Em 1982, Bell Marques fundou o Chiclete com Banana. Cinco anos depois, nascia, liderado por Durval Lelys, o Asa de Águia. Até o Carnaval de 2014, as duas bandas reinaram absolutas do alto de seus respectivos trios elétricos. Em plena folia de Salvador, Marques anunciou a despedida do grupo e o começo da carreira-­solo — no que foi seguido, em março, pelo colega. No Rio, os astros baianos mostram pela primeira vez os novos rumos de sua trajetória artística. Como ninguém é de ferro, Marques, sempre com sua indefectível bandana, não vai deixar de fora 100% Você, um hino para os chicleteiros. A canção dividirá espaço com composições mais recentes, a exemplo de Amor Bacana. Na mesma linha, Durval promete preservar os hits Não Tem Lua e Quebra Aê. Mas também mostrará Vê o que Restou, entre outras novidades. Como os dois são amigos, espera-se uma troca de gentilezas, na forma de canjas, com um dando uma palinha no show do outro. No intervalo entre as apresentações principais, a multidão esperada de mais de 7 000 fãs, que não costuma falhar em eventos do gênero, ainda vai ser brindada com a presença de DJs e do Carrossel de Emoções, fenômeno do Carnaval carioca que leva para a batucada pérolas do funk tradicional. Vai ser uma festa. 18 anos.

Riocentro (7 500 lugares). Avenida Salvador Allende, 6555, Barra, ☎ 3035-9100. Sábado (30), a partir das 15h. R$ 40,00 (pista feminina promocional) a R$ 190,00 (camarote masculino promocional). IR (☎ 4003-1212).

 

 

Ninguém duvida: a cerveja é a bebida favorita dos frequentadores que lotam mesas e calçadas do Baixo Gávea. Exceção à regra local, a casa inaugurada no fim do ano passado acomoda em suas prateleiras cerca de 500 rótulos de vinho de todos os cantos do planeta. A lista vai de vinhos como o português do Dão Vinha Paz Colheita 2011 (R$ 72,00) a sugestões fora de série, a exemplo do bordeaux Chateau Lynch-Bages 1999 (R$ 1 739,00). Em visita recente, foi escolha acertada o Grand Vin de Cantegril 2009, um corte de cabernet sauvignon e merlot em proporções iguais, oriundo da mesma região francesa de seu “primo” rico, mas servido por R$ 100,00. As opções de acomodação são variadas. Há uma mesa central de madeira, além de confortáveis sofás e poltronas de design contemporâneo postados ao redor de caixas de vinho que fazem as vezes de mesas. O cardápio, enxuto mas eficiente, é composto em sua maioria de produtos artesanais elaborados pelo chef Aloysio Graça. É o caso do delicioso salmão defumado ao molho de cogumelos (R$ 65,00), acompanhado de cesta de pães, azeites — também vendidos na loja — e flor de sal. Uma vez lá dentro, você esquece o burburinho do lado de fora.
Praça Santos Dumont, 140, loja A, Gávea, ☎ 2137-4154 (30 lugares). 10h/21h (qui. a sáb. até 22h; fecha dom.). Cc: todos. Cd: todos. Aberto em 2013.

Fonte: www.vejario.abril.com.br

Leia Mais

Brad Pitt e Angelina Jolie se casam na França

A informação foi dada pelo porta-voz do casal, que trocou alianças no Château Marival, ao sul do país, no sábado, 23.

Angelina Jolie e Brad Pitt em première de filme em Los Angeles, nos Estados Unidos (Foto: Kevin Winter/ Getty Images/ AFP)
Angelina Jolie e Brad Pitt em première de filme em Los Angeles, nos Estados Unidos
(Foto: Kevin Winter/ Getty Images/ AFP)

Até que enfim! Angelina Jolie e Brad Pitt se casaram no sábado, 23. O casal trocou alianças em uma pequena capela do Château Miraval, no Sul da França. Como testemunhas do enlace, apenas familiares e amigos mais próximos. As informações foram dadas pelo porta-voz da dupla e publicadas pelo site “Page Six”.

De acordo com a publicação, antes da cerimônia ecumênica, Pitt e Jolie também obtiveram uma licença de casamento de um juiz na Califórnia, o mesmo que conduziu a celebração na França.

Os filhos do casal tiveram importantes participações na cerimônia. Jolie chegou ao altar ao lado de seus filhos mais velhos, Maddox e Pax. Zahara e Vivienne jogaram pétalas, enquanto Shiloh e Knox levaram as alianças até o casal. De acordo com a agência de fotos AFP, Brad e Jolie são donos da propriedade, conhecida por sua produção de vinhos.

Os atores estão juntos há nove anos, desde que atuaram juntos em “Sr. e Sra. Smith”, em 2005. Em junho do ano passado, Brad deixou muita fã suspirando mundo afora quando escreveu um texto no qual declarava todo seu amor a Angelina. Em seu relato para a “Identity Magazine”, o ator contou que a mulher chegou a perder 13kg, que tinha parado de se cuidar e que ele pensou que iam se divorciar. Mas conseguiram dar a volta por cima:

Eu tenho a mulher mais bonita do planeta. Ela é a mulher ideal para mais da metade dos homens e mulheres da Terra, e eu o único que tinha permissão para dormir ao seu lado e abraçá-la. Comecei a mimá-la com flores, beijos e muitos elogios. Surpreendia-a e tentava agradá-la em todos os momentos. Enchi-a de presentes e comecei a viver apenas para ela. Só falava em público a seu respeito e relacionava todos os assuntos a ela, de alguma forma. Elogiei-a a sós e em frente a todos os nossos amigos.”

Rumores de que o casal oficializaria o casamento começaram há meses. Em novembro do ano passado, Brad chegou a dizer que a “hora estava próxima”. “Estou recebendo mais pressão de meus filhos, e isso é algo que eu quero fazer  na vida, sinto que chegou a hora”, disse Pitt. Porém, em maio, Angelina despistou: “Nós não temos qualquer plano de nos casarmos no momento, nada organizado. Não tem nada pronto, eu não tenho um vestido…”.

Chateau Miraval (Foto: AFP/ Agência)
Château Miraval (Foto: AFP/ Agência)

Chateau Miraval (Foto: AFP/ Agência)
Château Miraval (Foto: AFP/ Agência)

Fonte: www.ego.globo.com

Leia Mais

Adriana Perazelli no lançamento do livro e projeto social “COLECIONADORES DE RISOS” ‏‎

Adriana Perazelli lançou o livro Colecionadores de Risos com todos os colaboradores e patrocinadores que acreditaram neste magnífico projeto em prol de crianças enfermas que necessitam da alegria proporcionada pela visita aos hospitais do Grupo “Presente de Alegria” que doa o amor incondicional através da ONG de voluntários palhaços- doutores seguidores de Patch Adams.

 
Nas fotos:

Corroh Gomes, Diretor da ONG Presente de Alegria
Renata Lima, Diretora da ONG Presente de Alegria
Lia Rossi, proprietária da Life Circo, Nara Isoda, Ilustradora do livro, Adriana Perazzelli, Autora e mentora do projeto social Colecionadores de risos e Viviane Lopes Designer
 Ricardo Cabral, fundador da ONG Presente de Alegria, Corroh Gomes, Diretor da ONG Presente de Alegria

MARIA EMILIA GENOVESI
PRODUTORA CULTURAL
ASSESSORA/ MARKETING E IMPRENSA
ESCRITORA
55 11 2362.9959
55 11 99997.4230
twitter: @MariaGenovesi
Girardi Representações Ltda consultora de projetos

Leia Mais

Lançamento do livro “New York from Instagram” do artista Sergio Del Fiol‏‎

Sergio Del Fiol lançará livro de seu Projeto New York from Instagram

sergio_

O Projeto ” New York from Instagram “ surgiu do fascínio do autor pela cidade ao fotografa-la na primavera.

Sua proposta é fazer o  público sentir a materialização da midia social Istagram sentida pelo artista no momento de fotografar com suas emoções e sensações captadas na hora em que clica a imagem utilizando os filtros do aplicativo deste momento único e singular . 

 

Nas cem fotos publicadas, o livro procura expressar com delicadeza a pluralidade de sensações gerada por New York, algo que foi buscado em detalhes como sua forma quadrada e pequena (18×18) e o papel escolhido (145 gramas e encerado), que ao folhear, sentimos o toque inusitado , indicando a relação do autor com o meio. 

São apenas cinqüenta exemplares numerados e assinados,em edição única, além de mais 5 provas do artista e um certificado assinado pelo autor no corpo do livro, acondicionado numa luxuosa caixa branca .

Haverá juntamente com o lançamento a exposição de fotos do livro que ficará aberta ao público até 11 de outubro .

livro

 

Sobre o artista:

 

Sergio Del Fiol estudou Publicidade e Propaganda na Flórida, na década de 90. De volta ao Brasil, cursou Arquitetura e Urbanismo, criando a partir de seu conhecimento experiência vários projetos arquitetônicos na área civil na cidade de São Paulo, e para o mercado corporativo.

 

A descoberta da fotografia em 360 graus deu início a uma nova etapa profissional a partir de 2007. Visando aprofundar-se na sua nova paixão, participou ativamente de várias conferências mundiais no ramo da fotografia panorâmica. Trocou experiências com profissionais de vários países como Portugal, Islândia, Estados Unidos e França. Desde então, tem ministrado cursos de fotografia panorâmica para aqueles que buscam maior especialização. 

 

Foi destaque na matéria de capa da revista Digital Photographer Brazil, edição de fevereiro de 2011 e contemplado no concurso “The EPSON International Pano Awards 2013” com o trabalho “The Pilar – Manhattan”. 

 

 

 

Dados/informações

Lançamento do Livro        

Local:Livraria da Vila Shopping JK  São Paulo dia 11 de setembro  de 2014

Exposição : do dia 11 de setembro a 11 de outubro em horário normal da livraria

Horário do lançamento do livro e abertura da exposição:das 18:30 as 21:30 hs

MARIA EMILIA GENOVESI
PRODUTORA CULTURAL
ASSESSORA/ MARKETING E IMPRENSA
ESCRITORA
55 11 2362.9959
55 11 99997.4230
twitter: @MariaGenovesi
Girardi Representações Ltda
consultora de projetos

Leia Mais

No quadro “Toque de Classe” de hoje, entrevista com um dos maiores advogados do ES, Aroldo Limonge.

Hoje tem mais um quadro “Toque de Classe”, por Donatella Coser, no Programa “Sala News”, by Wesley Sathler na Record News.

Imperdível a entrevista com um dos maiores advogados do ES, Aroldo Limonge. Nesta terça-feira (26/8), às 20h com reprise na quarta-feira (27/8), às 14h20 e quinta (28/8), às 22h45, nos canais NET 78, RCA 22, SKY 357 e TV ABERTA 57.

Convido todos vocês a assistirem!!!!

dona

Leia Mais

Acontece hoje, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, a 13ª edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

“Faroeste Caboclo”, “Serra Pelada” e “Flores Raras” lideram a lista de finalistas do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2014

Premiação ganha nova categoria Comédia e elegerá melhor longa-metragem do gênero; Domingos Oliveira será o grande homenageado na cerimônia, dia 26 de agosto no Theatro Municipal do Rio de Janeiro

O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, maior premiação do cinema nacional, chega a sua 13ª edição em 26 de agosto. O evento será realizado no Theatro Municipal do Rio de janeiro e premiará os profissionais e filmes lançados comercialmente em 2013, além de homenagear o diretor e dramaturgo Domingos Oliveira. A lista de finalistas, votados pelos membros da Academia Brasileira de Cinema, tem novidades como a categoria de “Melhor Longa-Metragem de Comédia”. “É o prêmio mais valorizado do cinema brasileiro, porque é concedido pela classe cinematográfica. É o reconhecimento e o aplauso dos cineastas ao talento de seus pares. A comédia é uma tradição do cinema brasileiro, mas sempre foi pouco valorizada. Criando o prêmio Comédia, a Academia reconhece sua importância no desenvolvimento do nosso cinema” explica o Presidente da Academia Brasileira de Cinema Roberto Farias.

A cerimônia terá direção artística de Ivan Sugahara, um dos encenadores mais requisitados e plurais da cena contemporânea, cenografia de Sérgio Marimba e iluminação de Paulo César Medeiros. O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro será transmitido ao vivo pelo Canal Brasil e pelo site www.canalbrasil.com.br. O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2014 é realizado pela Academia Brasileira de Cinema em parceria com a Espaço/Z, e conta com o patrocínio da TV Globo através da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura. A premiação tem ainda copatrocínio da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, Cinemark, Telecine e Canal Brasil e apoio da Globo Filmes, Paramount Pictures, Sony Pictures, Lereby Produções, 20th Century Fox, Warner Bros., Kinoplex, Paris Filmes, Europa Filmes, Filme B, O2 Filmes, PwC, Clear Channel, UCI Cinemas, Adoro Cinema, Chandon, MPV7, Disaronn e Revista Exibidor.

Sobre os finalistas

“Faroeste Caboclo”, de Rene Sampaio, e “Serra Pelada”, de Heitor Dhalia, lideram as indicações com 13 menções cada um. “Flores Raras”, de Bruno Barreto, recebeu 12 indicações, seguido da comédia de Halder Gomes “Cine Holliúdy”, que concorre a 10 prêmios Grande Otelo. Ainda entraram na lista “O Som ao Redor”, de Kleber Mendonça Filho, e “Tatuagem”, de Hilton Lacerda, com oito indicações cada, “Somos tão jovens”, de Antonio Carlos da Fontoura, com cinco indicações, e “O Tempo e o Vento”, de Jayme Monjardim, que concorre em quatro categorias, mesmo número de indicações de “A Luz Do Tom”, de Nelson Pereira dos Santos.

A lista ainda destaca outros sucessos do cinema nacional, como o longa-metragem “Minha Mãe é uma Peça”, e “A Busca”, filme protagonizado por Wagner Moura, que receberam três indicações cada – também empatados como os documentários “Elena” e “Jorge Mautner – O Filho do Holocausto” e os longas “Mato Sem Cachorro” e “Uma História de Amor e Fúria”. “Dossiê Jango”, “Meu Pé de Laranja Lima”, “Minhocas”, “Dia que durou 21 Anos” e “São Silvestre” concorrem com duas indicações cada.

Completam a lista do Grande Prêmio do Cinema 2014 o longa-metragem “A Coleção Invisível”, indicado a “Melhor Roteiro Adaptado”, “Bonitinha, Mas Ordinária”, que rendeu indicação de Melhor Atriz Coadjuvante para Ângela Leal, “Corda Bamba” e “Tainá – A Origem”, que concorrem na categoria “Melhor Longa-Metragem Infantil”. Os filmes “Colegas” e “Meu Passado Me Condena” receberam indicação a “Melhor Longa-Metragem de Comédia”, e “Jards” concorre na categoria “Melhor Trilha Sonora”.

Votação popular

O Grande Prêmio de Cinema chega a sua segunda etapa de votação e abrirá espaço para o público escolher seus favoritos. Além dos membros da Academia Brasileira de Cinema, os cinéfilos poderão ajudar a eleger os vencedores do Grande Otelo nas categorias “Melhor Longa-Metragem Ficção”, “Melhor Longa-Metragem Documentário” e “Melhor Longa-Metragem Estrangeiro” em votação popular pelo site oficial da Academia (www.academiabrasileiradecinema.com.br).

Para o Presidente da Academia, Roberto Farias, é a chance de todos participarem do Grande Prêmio do Cinema: “Milhares de votos são dedicados pelo público todos os anos. Os filmes são feitos para a plateia e a Academia oferece a ela a oportunidade de premiar os filmes de sua preferência. É uma premiação pura, espontânea”. Os votos serão computados do dia 4 de agosto até a noite da premiação, no dia 26 de agosto.

Homenagens

O diretor e dramaturgo carioca Domingos Oliveira é o grande homenageado nesta edição. Responsável por grandes clássicos como “Todas as Mulheres do Mundo” (1966) – primeiro longa-metragem do diretor e que dá inspiração para o Grande Prêmio do Cinema 2014 – Domingos José Soares de Oliveira iniciou carreira no teatro antes de ir para o cinema e a televisão.

Com 23 filmes no currículo, além de outros títulos em que atuou como ator e roteirista, Domingos falou sobre as relações humanas em todas as suas obras. Seu mais recente trabalho é “Infância”, longa-metragem estrelado pela amiga de longa data Fernanda Montenegro, que classifica o diretor como um homem de visão de mundo inigualável: “tenho orgulho, sim, de ser amiga dele, de amá-lo, de respeitá-lo, de saber exatamente o quanto ele vale para todos nós, para a nossa cultura. Não só cinematográfica, mas também como pensador.”

O Departamento de Cinema e Vídeo da Universidade Federal Fluminense (UFF) também recebe homenagem especial no Grande Prêmio do Cinema 2014. O curso é um dos mais antigos e conceituados do país e continua a formar profissionais premiados como diretores e roteiristas além de professores, pesquisadores, curadores de mostras nas instituições de cultura, curta-metragistas, entre diversas outras atividades relacionadas ao audiovisual.

Planejado por Nelson Pereira dos Santos, o curso foi criado em 1968, em meio ao regime militar e passou a fazer parte do Instituto de Arte e Comunicação Social. Somente em 2008, o polo de cinema e audiovisual da UFF foi formalizado e ganhou coordenação própria. Para manter uma produção efervesceste e garantir a independência criativa de seus alunos, o departamento mantém convênios com cinematecas, laboratórios, prestadores de serviços e agências de fomento. O professor José Marinho receberá a homenagem especial em nome do Departamento de Cinema e Vídeo da Universidade Federal Fluminense.

Sobre a Academia Brasileira de Cinema:

A Academia Brasileira de Cinema foi criada em 2002 e tem sede no Rio de Janeiro. A instituição tem o intuito de contribuir para a promoção e fortalecimento do cinema como manifestação artística, colaborando, desta forma, no fortalecimento da indústria cinematográfica brasileira. Atualmente, a Academia tem mais de 200 sócios, todos profissionais que trabalham com cinema em diversas áreas: produtores, diretores, atores e técnicos.

Sobre o Grande Prêmio do Cinema:

Criado em 2002 junto à fundação da Academia, o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é votado pelos profissionais da indústria cinematográfica, sócios da Academia, e celebra a produção do cinema brasileiro como explica o Presidente Roberto Farias: “É conhecida a regra de que, quando o cinema nacional faz sucesso, esquenta o mercado e todos ganham. Como diria Euclides da Cunha, “o cineasta brasileiro é antes de tudo um forte, e a Academia sua fortaleza”. Cada vez mais forte, nossa Academia orgulha-se do cinema brasileiro e seus cineastas”.

A votação do prêmio acontece em duas etapas. Na fase de indicação são escolhidas as cinco obras e profissionais representantes de cada categoria que passarão para a etapa seguinte. Na fase seguinte, são escolhidos os vencedores através de nova votação entre os sócios e participação do público nas categorias “Melhor Longa-Metragem Ficção”, “Melhor Longa-Metragem Documentário” e “Melhor Longa-Metragem Estrangeiro”.

O acompanhamento e auditoria do sistema de votação do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é feito pela PwC, a mesma empresa de auditoria que faz a apuração do Oscar.

Confira a lista completa:

MELHOR LONGA–METRAGEM DE FICÇÃO

– CINE HOLLIÚDY de Halder Gomes. Produção: Halder Gomes e Dayane Queiroz por ATC;
FAROESTE CABOCLO de Rene Sampaio. Produção: Bianca De Felippes por Gávea Filmes e Produções, Marcello Maia por República Pureza e René Sampaio por Fogo Cerrado Filmes.
– FLORES RARAS de Bruno Barreto. Produção: Lucy Barreto e Paula Barreto por LCBarreto e Filmes do Equador;
– O SOM AO REDOR de Kleber Mendonça Filho. Produção: Emilie Lesclaux por Cinemascópio Produções;
– TATUAGEM de Hilton Lacerda. Produção: João Vieira Jr, Chico Ribeiro e Ofir Figueiredo por REC Produtores Associados.

MELHOR LONGA–METRAGEM DOCUMENTÁRIO

– A LUZ DO TOM de Nelson Pereira dos Santos. Produção: Márcia Pereira dos Santos por Regina Filmes Ltda e Maurício Andrade Ramos por Videofilmes;
– DOSSIE JANGO de Paulo Henrique Fontenelle. Produção: Paulo Mendonça por Canal Brasil;
– ELENA de Petra Costa. Produção: Petra Costa por Busca Vida Filmes
– JORGE MAUTNER – O FILHO DO HOLOCAUSTO de Pedro Bial e Heitor D’Alincourt. Produção: Paulo Mendonça por Canal Brasil e Pedro Bial;
– O DIA QUE DUROU 21 ANOS de Camilo Tavares. Produção: Karla Ladeia por Pequi Filmes;
– SÃO SILVESTRE de Lina Chamie. Produção: Denise Gomes e Paula Cosenza por BossaNovaFilms e Girafa Filmes.

MELHOR DIREÇÃO

– BRUNO BARRETO por Flores Raras
– HALDER GOMES por Cine Holliúdy
– HEITOR DHALIA por Serra Pelada
– HILTON LACERDA por Tatuagem
– KLEBER MENDONÇA FILHO por O som ao redor

MELHOR ATRIZ

– FERNANDA MONTENEGRO COMO BIBIANA por O tempo e o vento
– GLORIA PIRES COMO LOTA DE MACEDO SOARES por Flores Raras
– ISIS VALVERDE COMO MARIA LUCIA por Faroeste Caboclo
– LEANDRA LEAL COMO ZOÉ por Mato sem cachorro
– SOPHIE CHARLOTTE COMO TEREZA por Serra Pelada

MELHOR ATOR

– EDMILSON FILHO COMO FRANCISGLEYDISSON por Cine Holliúdy
– FABRÍCIO BOLIVEIRA COMO JOÃO DE SANTO CRISTO por Faroeste Caboclo
– IRANDHIR SANTOS COMO CLÉCIO por Tatuagem
– IRANDHIR SANTOS COMO CLODOALDO por O som ao redor
– JESUÍTA BARBOSA COMO FININHA por Tatuagem
– WAGNER MOURA COMO THEO GADELHA por A Busca

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

– ALEXANDRA RICHTER COMO IESA por Minha mãe é uma peça – o filme
– ANA MARLENE COMO MÃE DO WALDISNEY por Cine Holliudý
– ÂNGELA LEAL COMO DONA BERTA por Bonitinha, mas ordinária
– BIANCA COMPARATO COMO CARMEM TEREZA por Somos tão jovens
– SANDRA CORVELONI COMO DONA CARMINHA por Somos tão jovens

MELHOR ATOR COADJUVANTE

– ANTÔNIO CALLONI COMO MARCO AURÉLIO por Faroeste Caboclo
– BRUNO TORRES COMO FÊ LEMOS por Somos tão jovens
– JESUÍTA BARBOSA COMO NAVALHADA por Serra Pelada
– MATHEUS NACHTERGAELE COMO CORONEL CARVALHO por Serra Pelada
– WAGNER MOURA COMO LINDO RICO por Serra Pelada

MELHOR LONGA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO

– MINHOCAS de Paolo Conti. Produção: Paolo Conti por Animaking Produções, promoções artísticas e cinematográficas e com Ltda e Paulo Boccato por Glaz Entretenimento Ltda.
– UMA HISTÓRIA DE AMOR E FÚRIA de Luiz Bolognesi. Produção: Caio Gullane, Fabiano Gullane, Débora Ivanov e Gabriel Lacerda por Gullane Entretenimento, Laís Bodanzky, Luiz Bolognesi e Marcos Barreto por Buriti Filmes

MELHOR LONGA-METRAGEM INFANTIL

– CORDA BAMBA de Eduardo Goldenstein. Produção: Eduardo Goldenstein e Katya Goldenstein por Aion Cinematográfica Ltda.
– MEU PÉ DE LARANJA LIMA de Marcos Bernstein. Produção: Katia Machado por Pássaros Films do Brasil Audiovisuais Ltda.
– MINHOCAS de Paolo Conti. Produção: Paolo Conti por Animaking Produções, promoções artísticas e cinematográficas e com Ltda e Paulo Boccato por Glaz Entretenimento Ltda.
– TAINÁ – A ORIGEM de Rosane Svartman. Produção: Pedro Rovai e Virginia Limberger por Sincrocine Produções cinematográficas.

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA

– ADRIAN TEIJIDO, ABC por A Busca;
– AFFONSO BEATO, ASC, ABC por O tempo e o vento;
– GUSTAVO HADBA por Faroeste Caboclo;
– LITO MENDES DA ROCHA por Serra Pelada;
– MAURO PINHEIRO JR, ABC por Flores Raras.

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

– JOSÉ JOAQUIM SALLES por Flores Raras;
– JULIANO DORNELLES por O som ao redor;
– MARCELO ESCAÑUELA por A Busca;
– RENATA PINHEIRO por Tatuagem;
– TIAGO MARQUES por Faroeste Caboclo;
– TIZA DE OLIVEIRA por O tempo e o vento;
– TULÉ PEAKE por Serra Pelada;

MELHOR FIGURINO

– BIA SALGADO por Serra Pelada;
– CHRIS GARRIDO por Tatuagem;
– JOANNA FONTELLES por Cine Holliúdy;
– MACELO PIES por Flores Raras;
– VALÉRIA STEFANI por Faroeste Caboclo;

MELHOR MAQUIAGEM

– ANCELMO SAFFI, LUCILA ROBIROSA E UIRANDE HOLANDA  por Flores Raras;
– AURI MOTA por Faroeste Caboclo;
– CRIS PIRES por Cine Holliúdy;
– DONNA MEIRELLES por Tatuagem;
– SIVA RAMA TERRA por Serra Pelada.

MELHOR EFEITO VISUAL

– CARLOS EDUARDO NOGUEIRA por O som ao redor;
–  DANIEL GRECO  E BRUNO MONTEIRO por Uma história de amor e fúria;
– OMAR COLOCCI E RAFAEL RODRIGUES por Faroeste Caboclo;
– ROBSON SARTORI por Flores Raras;
– ROBSON SARTORI por Serra Pelada.

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

– ANDRÉ PEREIRA por Mato sem cachorro;
– HALDER GOMES por Cine Holliúdy;
– HEITOR DHALIA e VERA EGITO por Serra Pelada;
– HILTON LACERDA por Tatuagem;
– KLEBER MENDONÇA FILHO por O som ao redor.

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

– BERNARD ATTAL, IZIANE MASCARENHAS e SERGIO MACHADO – Adaptado da obra “A coleção invisível” de Stefan Zweig – por A coleção Invisível;
– MATTHEW CHAPMAN  e JULIE SAYRES e – adaptado da obra “Flores Raras e Banalíssimas” de Carmen L. de Oliveira e baseado no roteiro de Carolina Kotscho, AC – por Flores Raras;
– MARCOS BERNSTEIN e MELANIE DIMANTAS – adaptado da obra “O Meu pé de laranja lima” de José Mauro de Vasconcelos – por Meu pé de laranja lima;
– MARCOS BERNSTEIN e VICTOR ATHERINO – adaptado da música “ Faroeste Caboclo” de Renato Russo, Legião Urbana – por Faroeste Caboclo;
– NELSON PEREIRA DOS SANTOS e MIUCHA – adaptado da obra “Antônio Carlos Jobim, o homem iluminado” de Helena Jobim – por A luz do Tom;
– PAULO GUSTAVO e FIL BRAZ adaptado da peça teatral “’Minha mãe é uma peça” de Paulo Gustavo – por Minha mãe é uma peça – o filme.

MELHOR MONTAGEM FICÇÃO

– DIRCEU LUSTOSA por Somos tão jovens;
– HELGI THOR por Cine Holliúdy;
– KLEBER MENDONÇA FILHO e JOÃO MARIA por O som ao redor;
– LETÍCIA GIFFONI por Flores Raras;
– MARCIO HASHIMOTO por Faroeste Caboclo.

MELHOR MONTAGEM DOCUMENTÁRIO

– ALEXANDRE SAGGESE e LUCIANE CORREIA por a Luz do Tom;
– CESAR TUMA e VERÔNICA SAENZ por O dia que durou 21 anos;
– LEYDA NÁPOLES por Jorge Mautner – o filho do holocausto;
– MARÍLIA MORAES e TINA BAZ por Elena;
– PAULO HENRIQUE FONTENELLE por Dossiê Jango.

MELHOR SOM

– ALESSANDRO LAROCA, ARMANDO TORRES JR. e EDUARDO VIRMOND LIMA por Uma história de amor e fúria;
– ALFREDO GUERRA E ÉRICO PAIVA por Cine Holliúdy;
– JOÃO GODOY, MÁRTIN GRIGNASCHI, DIEGO GAT e LUCAS MEYERE por Serra Pelada;
– JORGE SALDANHA, ALESSANDRO LAROCA, ARMANDO TORRES JR. e EDUARDO VIRMOND LIMA por O tempo e o vento;
– LEANDRO LIMA, MIRIAN BIDERMAN, ABC, RICARDO CHUÍ e PAULO GAMA por Faroeste Caboclo;
– PAULO RICARDO NUNES, ALESSANDRO LAROCA e ARMANDO TORRES JR. por Flores Raras.

MELHOR TRILHA SONORA

– FIL PINHEIRO por Elena;
– JARDS MACALÉ por Jards;
– JORGE MAUTNER por Jorge Mautner – o filho do holocausto;
– LINA CHAMIE por São Silvestre;
– PAULO JOBIM por a Luz do Tom.

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL

– ANTÔNIO PINTO por Serra Pelada;
– CARLOS TRILHA por Somos tão jovens;
– DJ DOLORES por O som ao redor;
– MARCELO ZARVOS por Flores Raras;
– PHILLIPE SEABRA por Faroeste Caboclo.

MELHOR CURTA-METRAGEM FICÇÃO

– AU REVOIR de Milena Times;
– FLERTE de Hsu Chien;
– LINGUAGEM de Luis Rosemberg Filho;
– OS IRMÃOS MAI de Thais Fujinaga;
– TODOS OS DIAS EM QUE SOU ESTRANGEIRO de Eduardo Morotó.

MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

– A GUERRA DOS GIBIS de Thiago Brandimarte Mendonça;
– ATÉ O CÉU LEVA MAIS OU MENOS 15 MINUTOS de Camilla Battistetti;
– CONTOS DA MARÉ de Douglas Soares;
– GERICINÓ de Gabriel Medeiros e Maria Clara Senra;
– LUNA E CINARA de Clara Linhart.

MELHOR CURTA-METRAGEM ANIMAÇÃO

– ENGOLE OU COSPERVILHA de David Mussel, Fernanda Valverde, Gabriel Bitar, Giuliana Danza, Jonas Brandão, Marcelo Marão, Pedro Eboli, Zé Alexandre;
– FAROESTE de Wesley Rodrigues;
– GRAFFITI DANÇA de Rodrigo EBA;
– MACACOS ME MORDAM de Sávio Leite e Cesar Mauricio;
– O MENINO QUE SABIA VOAR de Douglas Alves Ferreira;
– PALEOLITO de Ismael Lito e Gabriel Calegario;
– QUINTO ANDAR de Marcos Nick;
– UM DIA DE TRABAJO de Francisco Rosatelli.

MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO

– A GRANDE BELEZA/La grande bellezza de Paolo Sorrentino. Distribuição Vinny Filmes/Europa Filmes
– AMOR/Amour de Michael Haneke. Distribuição: Imovision;
– AZUL É A COR MAIS QUENTE/La Vie d’Adele de Addellatif Kechiche. Distribuiição: Imovision;
– BLUE JASMINE/Blue Jasmine de Woody Allen.Distribuição: Imagem Filmes;
– DJANGO LIVRE/Django Unchained de Quentin Tarantino. Distribuição: Columbia/Sony.

MELHOR LONGA-METRAGEM COMÉDIA

– COLEGAS de Marcelo Galvão. Produção: Marcelo Galvão por Gata Cine Produções;
– MATO SEM CACHORRO de Pedro Amorim. Produção: Eliane Ferreira por Mixer e Malu Miranda por Lupa Filmes;
– MEU PASSADO ME CONDENA de Julia Rezende. Produção: Mariza Leão por Atitude Produções;
– CINE HOLLIÚDY de Halder Gomes. Produção: Halder Gomes e Dayane Queiroz por ATC;
– MINHA MÃE É UMA UMA PEÇA – O FILME de André Pellenz. Produção: Iafa Britz por Migdal Filmes.

image-53da6137612d9-default

Informações para a imprensa:
MNiemeyer Assessoria de Comunicação
www.mniemeyer.com.br (21) 2178-2530
Karen Araujo – karenaraujo@mniemeyer.com.br – (21) 99577-7991
Andrea Pessôa– andrea@mniemeyer.com.br – (21) 99802-6622

Fonte: www.academiabrasileiradecinema.com.br

Leia Mais

Filme sobre Tim Maia tem data de estreia definida

Dirigido por Mauro Lima, longa-metragem que aborda a vida do cantor chega ao cinema em 30 de outubro

timmaia_creditopapricafotografia_201929-alta
O ator Robson Nunes interpreta o cantor na adolescência (Foto: Paprica Fotografia)

O filme Tim Maia, que conta a trajetória do genial e controverso músico brasileiro, tem estreia prometida para o dia 30 de outubro.

Dirigido por Mauro Lima (de Meu Nome Não É Johnny), o longa-metragem mostra desde a infância do cantor, no Rio de Janeiro, até a consagração como um dos maiores nomes do soul nacional. Sua fase religiosa, quando se envolveu com a Cultura Racional e lançou dois discos em referência ao movimento, também faz parte da produção.

O ator Babu Santana interpreta Tim Maia na vida adulta. Ele contracena com Alinne Moraes, que dá vida a uma das paixões do cantor, e Cauã Reymond, como um amigo do cantor. No papel do Tim jovem foi escolhido Róbson Nunes.

A história que o público vai assistir na tela é inspirada no livro Vale Tudo – O Som e a Fúria de Tim Maia, do escritor e jornalista Nelson Motta, e em outros documentos.

Fonte: www.vejasp.abril.com.br
Fotos: Paprica Fotografia

timmaia_creditopapricafotografia_13c_00177red
A história é inspirada em livro de Nelson Motta (Foto: Paprica Fotografia)

timmaia_creditopapricafotografia_13c_00253-b
Babu Santana está no papel do cantor na fase adulta (Foto: Paprica Fotografia)

timmaia_creditopapricafotografia_26_00051
Cauã Reymond em cena do filme (Foto: Paprica Fotografia)

timmaia_creditopapricafotografia_100326-alta
Cauã Reymond está no elenco como um amigo do músico (Foto: Paprica Fotografia)

timmaia_creditopapricafotografia_100566-red
Alinne Moraes interpreta uma das paixões de Tim Maia (Foto: Paprica Fotografia)

Leia Mais

Parede de talentos

O Teatro Rival Petrobras, que festeja oitenta anos de sua fundação, amplia o conceito de sua mostra permanente de fotos de artistas. A partir deste ano, os vivos também têm vez

 

 


Dos mais antigos, tradicionais e simpáticos palcos da cidade, o Teatro Rival (hoje Rival Petrobras), na Cinelândia, aproveita seu aniversário de oitenta anos para dar uma sacudida na programação, especialmente no que diz respeito à área musical. Vem recebendo shows de nomes consagrados da MPB, como Arlindo Cruz e Cauby Peixoto, e em outubro será a vez de Adriana Calcanhotto. Também faz parte do esforço de renovação do lugar uma mexida física na casa, iniciando-se pela ampliação do conceito dos quadros de parede que há décadas enfeitam o ambiente: desde março, artistas vivos começaram a ocupar espaço no painel, dividindo atenção com as personalidades do passado (desafie sua memória no teste abaixo). A ideia é que, a cada grande espetáculo ali realizado, uma nova celebridade ganhe, numa foto apenas de rosto e em preto e branco, seu devido lugar nessa exposição permanente. Marcado pelas revistas musicais no meio do século XX, o Rival, desde a década de 80, está nas mãos da família Leal, primeiro com Américo, produtor de teatro, depois com sua filha, Ângela, atriz, atual administradora. E, naturalmente, já vai começando a ter voz nas decisões sobre agenda e programação Leandra Leal, também atriz, da terceira geração do clã.

Fonte: www.vejario.abril.com.br

Leia Mais

Juliana Paes lança campanha Fios Pro Bem no Rio

No fim da tarde desta quarta, 20, a atriz Juliana Paes lançou a campanha “Fios Pro Bem”, da sua marca Espaço Juliana Paes, em parceria com a Fundação Laço Rosa. O evento contou com um show do saxofonista Breno Morais acompanhado do DJ Bruno de Vicq.Rosana Paes, presidente do Espaço Juliana Paes, comandou um talk show para falar sobre a campanha. Em seguida a palavra foi paraMarcelle Medeiros, presidente da Fundação Laço Rosa, que emocionou muitas convidadas ao contar que perdeu uma irmã de câncer. Juliana encerrou o bate papo, onde falou sobre o prazer em participar da campanha como madrinha.

Após o talk show houve a demonstração de um corte voluntário, a jovem Ana Carolina Cesarino de apenas 13 anos retirou 20 cm das madeixas para doar para o banco de perucas. Durante o corte, que foi feito pelo hair stylist Brunno Castro, coordenador da técnico do Espaço Juliana Paes, a atriz Juliana Paes e todas as convidadas se emocionaram muito.

A decoração e cerimonial do evento teve assinatura de Irma Cordeiro, que usou o rosa – cor oficial da campanha, como tema principal.

O objetivo desta campanha é resgatar a autoestima de mulheres que sofrem com as consequências do tratamento. Esses fios transformaram não só a vida de quem recebe, mas também de quem dará”, afirma Juliana Paes, madrinha da Fio Pro Bem.

Juliana também cortou as madeixas, e os fios da atriz e de todos os clientes do Espaço Juliana Paes que participarem da ação serão doados ao Banco de Perucas Online, iniciativa pioneira da Fundação Laço Rosa, ONG que faz doações gratuitas de perucas a mulheres que passam por tratamento contra o câncer. 


Fotos: Alessandro Mendes

Amanda Ramalho
STAFF COMPANY ASSESSORIA 
Assessoria de Imprensa
 
Leia Mais