Categoria : Roberto Secio

Home/Arquivo por Categoria" Roberto Secio"

Natália Guimarães

A mais bela Miss Brasil do Novo Milênio  completa esse ano de 2019 12 Anos de Historia de Beleza em seu reinado no Concurso Miss Brasil.* 

Por Roberto Secio

Natália Aparecida Guimarães Nasceu no dia 25 de dezembro de 1984 (Juiz de Fora,) no Estado de Minas Gerais. Segundo familiares, a escolha de seu segundo nome é uma homenagem a Nossa Senhora Aparecida.

Começou sua carreira aos 15 anos de idade quando foi descoberta pelos empresários da Agência de Modelo Ford Models com quem assinou o contrato e começou a modelar.

Em 2003 aos 18 anos começou a faculdade de Arquitetura, porém teve que trancar a matrícula da faculdade no mesmo ano, pois foi enviada para Nova Iorque onde estudou inglês e foi convidada para desfilar em famosas Grifes Prada, Dior e Valentino.

No ano de 2006 foi a vencedora do Concurso Top Model Of The World, mas renunciou ao título no dia 19 de abril de 2006, porque decidiu disputar o Concurso Miss Universo como representante brasileira. O regulamento do Top Model of the World proíbe a participação da vencedora em outros concursos de beleza internacionais.


No Ano de 2007 Natália Guimarães foi eleita Miss Minas Gerais representando a capital Belo Horizonte se classificando para o Concurso Miss Brasil 2007.

O Concurso Miss Brasil foi realizada na casa de espetáculos Viva Rio e foi a 53ª edição, no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro. A estudante de arquitetura, que representa o Estado de Minas Gerais, tinha 22 anos, 1,75m, 90cm de busto, 60cm de cintura e 93cm de quadril. A mineira trabalha como modelo há oito anos e já morou em Nova York. Natália, que recebeu o manto da gaúcha Rafaela Zanella, representará o Brasil no Miss Universo, na Cidade do México, no dia 28 de maio. Em segundo e terceiro lugares ficaram Carolina Prates, do Rio Grande do Sul, e Vivian Noronha, do Paraná, respectivamente. A Miss Pernambuco, Wilma Gomes foi escolhida a Miss Simpatia. As 27 misses se apresentaram com cinco tipos de trajes: gala, típico, biquíni, casual e maiô. O cantor Paulo Ricardo fez uma apresentação especial no evento. A Miss Universo 2006, a porto-riquenha Zuleyka Rivera Mendoza,

No Concurso Miss Universo 2007 Natália Guimarães ficou como a Vice no concurso daquele ano.

Ao despedir- se dê seu expendido reinado no concurso Miss Brasil e sendo a Vice no Concurso Miss Universo Natália Guimarães começou a sua carreira como atriz interpretando Maria Madalena na peça religiosa em 2007. No mesmo ano realizou uma participação na telenovela Dance Dance Dance pela TV Bandeirantes.

Em 2008 entrou para a segunda fase da telenovela Caminhos do Coração, interpretando a Mulher-Aranha, a qual permaneceu na segunda parte da trilogia, Os Mutantes. De 2008 a 2009 exerceu a posição de rainha de bateria da Vila Isabel.Em 2009 esteve na série A Lei e o Crime, e no remake da Record Tv de Bela a Feia. Em 2010 se tornou apresentadora do Hoje em Dia, comandando o bloco mineiro diretamente de Belo Horizonte. Em, 2012, participou da primeira temporada do reality show Amazônia.

No ano de 2008 Natália Guimarães foi coroada Rainha da Bateria do da Escola de Samba Vila Isabel no Estado do Rio de Janeiro.

Em 2007 conheceu o cantor Leandro Scornavacca integrante do grupo KlB, durante as gravações do talent show Dança no Gelo, com quem começou a namorar naquele ano. Em fevereiro de 2013 anuncia sua gravidez, sendo que em 8 de agosto nascem as gêmeas Maya e Kiara. Em 2010 ingressou na faculdade de jornalismo novamente pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC), a qual teve que trancar entre 2013 e 2014 pela licença-maternidade, mas retornou e formou-se em 2015.

Natália Guimarães Miss Brasil 2007 foi capa de várias Revistas de Moda em seu reinado no Concurso Miss Brasil. Foi capa da Revista Nova Revista Contigo, Revista Manchete Edição Especial do Carnaval, Revista Noivas Revista Caras, Jornais e Revista Mídia Eletrônica Nacional e Internacional e recentemente foi capa da revista Caras entre outras revistas na mídia.

Natália Guimarães, Miss Brasil 2007, também é uma das homenageadas na primeira e segunda edição do livro de Roberto Secio As Misses Do Brasil de 1922 a 2011, a segunda edição foi lançada no ano de 2016.
Obrigado a todos pelo carinho e reconhecimento ao meu trabalho.sejam sempre bem vindos.
Conde & Comendador Embaixador da Paz Roberto Sécio” Conbla”, Delegado Cultural de São Paulo” Conbla”, Comendador “Conbla”, autor do livro Misses Do Brasil de 1922 a 2016 e jornalista ABIME -Associação Brasileira de Imprensa de Mídia Eletrônica.

Foto numero 01: Natália Guimarães com a Coroa e a Faixa de Miss Brasil 2007.

Foto numero 02: Natália Guimarães com a Coroa, Faixa, e o Manto  de Miss Brasil 2007.
Foto numero 03: Natália Guimarães com a Coroa, Faixa de Rainha da Bateria da Escola de Samba do Estado do Rio de Janeiro Vila isabel.

Foto numero 04: Revista Manchete Natália Guimarães Capa da Edição Especial do Carnaval de 2008.

Foto numero 05: Natália Guimarães  no Concurso Miss Universo 2007.
Foto numero 06: Natália Guimarães com seu vestido de Gala no Concurso Miss Universo 2007.

Foto numero 07: Natália Guimarães Capa da Revista Miss Brasil.
Foto numero 08: Roberto Secio, jornalista, autor e biógrafo do livro As Misses do Brasil de 1922 a 2016, segunda edição.

Foto numero 09: Natália Guimarães, Miss Brasil 2007, ao lado de seu esposo Leandro Scornavacca e das belissimas gêmeas (filhas) Maya e Kiara.

Leia Mais

Márcia Gabrielle 34 Anos de História e Reinado Concurso Miss Mato Grosso e Eleita Miss Brasil 1985

Márcia Gabrielle, foi registrada com o seu nome de batismo como Márcia Giagio Canavezes de Oliveira Nasceu no dia, 2 de fevereiro de 1964 no Estado do Rio de Janeiro, é uma modelo empresária, jurada e apresentadora de televisão brasileira. Foi a primeira Miss Mato Grosso eleita Miss Brasil 1985, fato ocorrido em 1985, e participou e foi premiada em dois outros concursos internacionais no mesmo ano em que foi coroada Miss Brasil 1985, Miss Suamérica e Rainha Internacional do Café 1985.

Marcia Gabrielle Miss Mato Grosso 1985 Eleita Miss Brasil 1985.

O Concurso, Miss Mato Grosso 1985 é um concurso de beleza feminino tradicional da região que seleciona a melhor representante do Estado para a disputa nacional de Miss Brasil, válido para o Miss Universo. A unidade federativa só possui três coroas nacionais, a primeira com a carioca Márcia Gabrielle em 1985, a segunda com a paranaense Josiane Kruliskoski em 2000, e a terceira com Jakelyne Oliveira, em 2013. O concurso é coordenado pelo colunista social Warner Willon desde os anos 90, com exceção do ano de 2011, após um ano de complicações contratuais com a organização nacional. Uma curiosidade trata-se de que das três vitoriosas, apenas a última é naturalmente do estado e a que foi mais longe no Miss Universo.

O Concurso Miss Brasil 1985, com apresentação de Silvio Santos, elegendo como vencedora Márcia Gabrielle, Miss Mato Grosso O júri foi composto por Edson Arantes do Nascimento (Pelé), Ray (do grupo Minudo), a Ex-Miss Universo 1963 Ieda Maria Vargas; o ator Pedro Aguinaga, o diretor da Empresa Maranhense de Turismo (Maratur), Murilo Sarney; o presidente da Paulistur, João Dória Júnior; a atriz Pepita Rodriguez, o colunista social da Folha de São Paulo, Tavares de Miranda, o cabeleireiro Jassa, o apresentador Gugu Liberato, o diretor do SBT Luciano Callegari, a coreógrafa do evento e da emissora Joyce Kermann. Na parte musical, as presenças do grupo Metrô, do cantor espanhol Manolo Otelo e da cantora Alcione.

O Concurso Miss Brasil 1985 foi realizado na cidade de São Paulo Capital no dia 8 de junho de 1985, com transmissão do SBT. O Concurso Miss Brasil 1985, foi a 32ª edição do concurso Márcia Gabrielle derrota outras 26 candidatas estaduais e do Distrito Federal, tornando-se a primeira representante do estado de Mato Grosso a vencer um concurso nacional e ser Eleita Miss Brasil 1985.

Uma das curiosidades do Concurso Miss Brasil 1985 Márcia Gabrielle Miss Mato Grosso ganhou o prêmio como o cabelo mais belo sedoso e cuidado no concurso Miss Brasil 1985 ela ganhou um cheque que foi o prêmio na época no valor de Dez Mil Cruzeiros.

Concurso Miss Universo 1985 foi, realizado em Miami, Flórida em 15 de julho de 1985, Márcia Gabrielle fica entre as dez semifinalistas do Concurso Miss Universo 1985.

Marcia Gabrielle Miss Brasil 1986 na Mídia

Em 1986, ela integra o júri do concurso de Miss Brasil ocorrido também em São Paulo e vencido pela gaúcha Deise Nunes de Souza. Após o reinado como Miss Brasil, fez várias campanhas publicitárias. Em 8 de abril de 2006, ela toma parte no corpo de jurados do concurso Miss Brasil que elegeria outra gaúcha: Rafaela Zanella.

No ano de 1986, Márcia Gabrielle, começa uma breve carreira na televisão. Primeiro como jurada do programa de auditório de Chacrinha, na Rede Globo, e depois à frente de um programa de vídeo clipes da TV Educativa do Rio de Janeiro. Ela também se engaja em causas sociais, como a da prevenção do glaucoma e da doação voluntária de sangue.

Em 2015, foi um dos momentos lindos que vivemos no nosso “Reencontro Miss Brasil 1985”, em 2015. Grace Pascarelli, Miss AM, presenteia a nossa Rainha, Márcia Gabrielle, com uma nova faixa de Miss Brasil

Em 2011 Roberto Secio Lança sua primeira Biografia do Concurso Miss Brasil Homenageando Márcia Gabrielle Miss Mato Grosso e Miss Brasil 1985 no Livro As Misses Do Brasil de 1922 a 2011 no ano de 2016 Roberto Secio lança a nova edição atualizada do Livro As Misses Do Brasil de 1922 a 2017 fazendo uma linda homenagem a nossa querida e eterna Miss Brasil Mato Grosso e Miss Brasil 1985 Márcia Gabrielle.

Vida pessoal:

Márcia Gabrielle Miss Brasil 1985, casou-se em 1997 separou-se alguns anos depois. Em 2005, subiu ao altar novamente com o fotógrafo Joaquim Nabuco. O casal fez uma parceria com o UOL e lançou o site Colírio Brasil, que tem fotos das mais belas mulheres do Brasil.

Márcia Gabrielle Miss Brasil 1985 em entrevista à Revista Manchete de 1987 declarou:

O grande sonho das meninas é a fama, é ser miss, coisas do gênero. Pensam que é conto de fadas e não é. Uma coisa que tento mostrar é que beleza só não basta. É preciso inteligência, cabeça boa. Cada uma vai passar por mil problemas e é preciso estar preparada para vencê-los. Meu livro [que estava escrevendo na época é uma advertência nessa direção, pois o grande aceno que sempre se recebe nessa trajetória é ser objeto. E objeto só é quem quer.

Atualmente Marcia Gabrielle Miss Brasil 1985 reside em sua cidade no Rio de Janeiro, cercada de amigos e trabalhando em seus projetos e sendo feliz.

Concursos de Beleza conquistados no Mundo Miss:

  • Rainha Internacional do Café 1985 (Venceu o Concurso na Colômbia)
  • Miss Barão de Melgaço 1985.
  • Miss Mato Grosso 1985.
  • Miss Brasil 1985.
  • Top 10 no Concurso Miss Universo 1985.
  • Miss Sudamerica Vice levando o Título de Miss Simpatia (Segundo Lugar)

Obrigado a todos pelo carinho e consideração ao meu Trabalho.

Conde & Comendador Embaixador Da Paz Roberto Sécio” Conbla” Delegado Cultural de São Paulo” Conbla” Comendador “Conbla” Autor do Livro Misses Do Brasil de 1922 a 2016 e Jornalista ABIME -Associação Brasileira de Imprensa de Mídia Eletrônica.

Leia Mais

Adalgisa Colombo

In Memorian Adalgisa Colombo Miss Distrito Federal 1958 e Miss Brasil 1958 11/01/1940 A 18/01/2013.

Por Roberto Secio

Adalgisa Colombo Teruzkin Nasceu no Estado do Rio de Janeiro, no dia 11 de janeiro de 1940.

Na década de 1950 Antes do concurso de Miss Distrito Federal e Miss Brasil 1958, Adalgisa ainda adolescente no ano de 1956, participou como atriz na comédia de chanchada Com Água na Boca, de J. B. Tanko, com Anilza Leoni, Otelo Zeloni Costinha e Older Cazarré no elenco no papel de Teresinha.

Adalgisa Colombo era modelo da Loja e Grife Casa Canadá foi uma das modelos mais conceituadas da sua época. Antes de se tornar Miss Distrito Federal e Miss Brasil 1958 aprendeu os truques da boa passarela. A experiência só realçou sua elegância nata, valendo pontos fundamentais no Maracanzinho e em Long Beach conquistando o segunda lugar no Concurso Miss Universo 1958.

*ADALGISA COLOMBO ELEITA MISS DISTRITO FEDERAL E MISS BRASIL 1958. *

Adalgisa Colombo, Miss Distrito Federal 1958 (Rio de Janeiro), na capa da Manchete, número 323, ano 6, de 28/06/1958. A chamada de capa “Vaiada Adalgisa Chorou” ganhou mais destaque do que o desastre aéreo e a Copa do Mundo. A revista faz parte do meu acervo e está com marcas inevitáveis de seis décadas de existência. Porque foi vaiada pelo público ao ser eleita Miss Distrito Federal 1958, Adalgisa Colombo chorou ao receber a faixa no Maracanãzinho e saiu correndo para o camarim, dizendo que “se tivesse sido derrotada estaria me sentindo como hoje, em que um júri me deu a vitória.”

O público vaiou Adalgisa porque preferia Ivone Richter, Miss Riachuelo, segunda colocada. Quando Adalgisa fazia pose na passarela, a pedido dos fotógrafos, era vaiada. Assim que Ivone Richter dela se aproximava, o público aplaudia, pretendendo dizer: “Essa sim!” Ao entrar no camarim, depois de eleita, e ouvindo muita gente dizer que o resultado fora “uma autêntica marmelada Colombo”, Adalgisa recebeu uma anágua jogada (depois ela soube) por uma das candidatas derrotadas. Ela quis reagir, mas um repórter a segurou e disse: “Adalgisa, você agora é Miss Distrito Federal!”

Com os olhos em lágrimas e vermelhos, desde que foi proclamada vencedora até voltar para casa, de madrugada, Adalgisa deixou-se fotografar demoradamente no Maracanãzinho e disse depois da vitória que ficara emocionada e “não esperava a péssima recepção que tive. Foi falta de educação de muita gente”. Rebatendo os que chamavam o concurso de marmelada Colombo, Adalgisa disse: “Não pedi nada a ninguém. A programação do concurso foi perfeita. Não contava, inclusive, com a vitória, porque esperava que Miss Riachuelo, que considero linda, fosse a vencedora”. Adalgisa disse que só duas ou três das vinte e seis candidatas não a trataram bem depois da vitória.

O Concurso Miss Brasil 1958 foi a 5.ª edição do concurso Miss Brasil, que foi realizada no dia 19 de junho de 1958 no Ginásio do Maracanãzinho no Rio de Janeiro. A Miss Brasil 1957 Terezinha Morango do Amazonas coroou Adalgisa Colombo da Guanabara. A vencedora representou o Brasil no Miss Universo 1958. A segunda colocada Sônia Maria Campos, representou o Brasil no Miss Mundo 1958. O concurso foi transmitido pela Tupi.

Na decada de 1960 Trabalhou como apresentadora da TV Rio durante, onde apresentou programas diversos, a maioria dirigidos ao público feminino.

Foi Modelo de varias Capas de Revista da decada de 1950 entre essas revistas Foi destaque e capa da Revista Manchete da decada de 1950, Revista O Cruzeiro dos Diariso Associados Assis Chatobriand, Revista da Semana e Revista do Rádio entre outras propagandas e veículos de comunicação.

Concurso Miss Universo 1958:

Adalgisa Colombo a Miss considerada inesquecível por parte dos brasileiros, conseguiu repetir a performance da sua antecessora e ficou em segundo Lugar no Miss Universo 1958. Adalgisa tinha se preparado por 4 anos antes para ganhar o Miss Brasil, sua derrota no Miss Universo daquele ano foi considerada surpresa por parte de todos.

Depois do concurso de Miss Brasil, Adalgisa foi modelo e apresentadora de televisão, tendo feito vários programas na TV Rio, durante a década de 60. Ela viveu 14 anos nos EUA e sua beleza rendeu inúmeras capas para revistas como Cruzeiro e Manchete, entre outras. Nos últimos anos, a revista Caras dava destaque à sua beleza madura e seu charme impecável.

ADALGISA COLOMBO HOMENAGEADA NO CONCURSO MISS BRASIL 2008 PELOS SEUS 50 ANOS DE REINADO E TAMBÉM E UMA DAS HOMENAGEADAS NO LIVRO DE ROBERTO SECIO AUTOR DO LIVRO AS MISSES DO BRASIL.

Em 2004 foi homenageada pelos 50 Anos de História do Concurso Miss Brasil.

Em 2008 Foi Homenageada pelos 50 Anos de História e de Reinado no Concurso Miss Brasil 2008. (Pela Tv Bandeirantes de São Paulo Capital)

Marta Rocha Miss Brasil e Vice no Concurso Miss Universo 1954 foi e sempre sera a melhora Amiga de Adalgisa Colombo amnas estavam sempre juntas em eventos Concursos de Misses e na vida pessoal amizade de ambas durou por mais de 50 anos.

Revista Caras 17 de Outubro de 2011.

Adalgisa Colombo, a Miss Brasil de 1958, se emociona no casamento do filho Com ritos judeus, o empresário Rodrigo Teruszkin se casa com a estilista católica Shayanna Pirozi após três anos de namoro.

No ano de 2011, eu, Roberto Secio, autor e biógrafo do Livro As Misses do Brasil, tive a honra e o privilégio de conhecer nossa Eterna Miss Brasil 1958. Adalgisa Colombo foi um momento inesquecível na vida de ambos e Adalgisa Colombo, com olhos cheio de lagrimas, me disse: “Roberto Secio, obrigada por tudo. Estou me sentindo imortalizada.” Desde então tivemos uma linda amizade e toda a vez que eu ia ao Rio de Janeiro nos encontrávamos.

Adalgisa Colombo para minha pessoa e para todos que tiveram o privilégio de conhecer ela era uma verdadeira dama uma pessoa iluminada através de seu tempo foi e sempre será a percursora e a dama da história do Concurso Miss Brasil sou muito grato a ela GRATIDÃO ETERNA por tudo e pela consideração a nossa amizade e também o respeito e carinho e consideração ao meu trabalho.

Adalgisa Colombo e uma das Homenageadas na Primeira e na Segunda Edição do Meu Livro As Misses do Brasil de 1922 a 2011 e a Segunda Edição mais atualizada lançada em 2017.

Adalgisa Colombo (Faleceu) no dia 18 de Janeiro de 2013 morreu no Rio de Janeiro aos 73 anos. Esposa do Empresario Flávio Teruszkin (71), seu marido há 34 anos mãe de três filhos Jackson (53), Rafaela (31) Rodrigo Teruszkin (32), As causas da morte não foram divulgadas pela família. Seu corpo foi enterrado no Cemitério Israelita de Vilar dos Teles, no Rio de Janeiro. Na mesma cidade que a projetou para a fama, deixando seu nome como um ícone da beleza brasileira. Obrigado a todos pelo carinho e consideração ao meu Trabalho.
Conde & Comendador Embaixador Da Paz Roberto Sécio” Conbla” Delegado Cultural de São Paulo” Conbla” Comendador “Conbla” Autor do Livro Misses Do Brasil de 1922 a 2016 e Jornalista ABIME -Associação Brasileira de Imprensa de Mídia Eletrônica.

Foto Numero 01 

Capa do Livro Roberto Secio Autor da Segunda Edição do Livro As Misses Do Brasil de 1922 a 2017.

Foto Numero 02 

Adalgisa Colombo Capa da Revista Manchete Eleita Miss Distrito Federal 1958.

Foto Numero 03 Materia da Revista Manchete Adalgisa Chora ao ser vaiada pelo Publico

em sua Vitoria no Concurso Miss Distrito Federal 1958.

Foto Numero 04.

Teresinha Morango Miss Amazonas e Miss Brasil 1957 Coroando Adalgisa Colombo Miss Brasil 1958.

Foto Numero 05

 Adalgisa Colombo com as demais Misses Classificadas no Concurso Miss Brasil 1958.

Foto Numero 06

Adalgisa Colombo com a Faixa, Manto, Coroa e o Cetro de Miss Brasil 1958.

Foto Numero 07 Adalgisa Colombo Capa da Revista O Cruzeiro.

Na Capa com Teresinha Morango Miss Brasil 1957 ao lado de sua sucessora Adalgisa Colombo Miss 

Brasil 1958, 

Foto Numero 09 Adalgisa Colombo Capa da Revista Mundo Ilustrado Ano de 1958 Concurso Miss Universo.

Foto Numero 09 

Adalgisa Colombo de Maio no Concurso Miss Universo.

Foto Numero 10 Capa da Revista Cromos ano 1958

Adalgisa Colombo Vice no Concurso Miss Universo 1958 ao lado da Vencedora do Concurso

Miss Universo 1958 com as demais Misses. Top 4 Miss Universo 1958.

Foto Numero 10

Adalgisa Colombo Capa da Revista Manchete decada de 1960 Materia na época era 

Adalgisa Colombo apresentadora de um programa TV Tupi.Foto Numero 11  Capa da Revista o Cruzeiro decada de 1960 

Adalgisa Colombo Materia na época era 

Adalgisa Colombo apresentadora de um programa TV Tupi.Foto Numero 12  Capa da Revista Manchete Martha Rocha, Miss Brasil 1954, e Adalgisa Colombo, Miss Brasil 1958Foto Numero 13 Adalgisa Colombo Homenageada no Concurso Miss Brasil 1958 pelos seus 50 Anos deReinado no Concurso Miss Brasil e Miss Universo.Foto Numero 13.Roberto Secio Autor do Livro As Misses do Brasil de 1922 a 2017 Segunda Edição e colunista Social do Portal Villarino  ao lado de Adalgisa Colombo Miss Brasil 1958  no Concurso Miss Brasil. Foto Numero 14.Adalgisa Colombo Miss Brasil 1958 no Casamento com seu Filho e com sua Família toda Reunida. 

Leia Mais

Vera Fischer: 50 anos desde Miss Brasil

Vera Fischer 50 Anos de Reinado Na Historia do Concurso Miss Brasil  É A Mais bela Catarinense  Eleita Miss Brasil 1969.

Por Roberto Secio

Há exatamente a 50 anos, acontecia no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, a eleição da Miss Brasil de 1969. A vencedora foi Vera Lucia Fischer do Estado de Santa Catarina. Os Apresentadores do Concurso na época foram Paulo Marx e Marly Bueno. 

Vera Lúcia Berndt Fischer (Blumenau27 de novembro de 1951) é uma atriz brasileira, de ascendência alemã. Iniciou sua carreira artística como modelo, onde nesta mesma época ganhou o concurso de beleza, sendo eleita a Miss Brasil 1969, título que lhe deu projeção nacional.

O concurso Miss Brasil 1969 foi a décima sexta edição do concurso Miss Brasil, realizada no dia 28 de junho de 1969 no Ginásio do Maracanãzinho no Rio de Janeiro. A Miss Brasil 1968 e Miss Universo 1968 Martha Vasconcellos da Bahia coroou Vera Fischer de Santa Catarina. A vencedora representou o Brasil no Miss Universo 1969. A segunda colocada representou o Brasil no Miss Internacional 1969. A terceira colocada representou o Brasil no Miss Mundo 1969. O concurso revelou Vera Fischer, que posteriormente se tornou atriz.  Recentemente Vera lançou um livro com sua biografia, onde conta com detalhes o Miss Brasil 1969 e o fato de que tinha apenas 17 anos quando ganhou o direito de representar o Brasil no Miss Universo 1969, conseguindo também uma classificação.

Vera Fischer é A primeira Catarinense a obter o título de mulher mais bela do país, Vera Lúcia Fisher, renomada atriz brasileira atualmente não fez feio ao disputar o Miss Universo 1969. Ninguém sabia que Vera tinha 17 anos na época do concurso, esse fato foi revelado em seu livro. Outro fato revelado em sua auto biografia é que ela usava aplique nos cabelos, fato este que era contra o regulamento do concurso nacional e internacional. Vera ficou entre as dez semifinalistas do certâmen Concurso Miss Universo 1969.

Vida Pessoal:

De 1972 a 1988 foi casada com o ator e diretor Perry Salles, com quem teve sua filha Rafaela Fischer de Almeida, nascida em 1979. Nas gravações da novela Mandala, em 1987, conheceu o ator Felipe Camargo, com quem foi casada de 1988 a 1995, com quem teve seu filho, Gabriel Fischer de Camargo, nascido em 1993.

Carreira:

Iniciou a carreira como atriz, fazendo Filmes, depois passou a fazer telenovelas e outros filmes. No cinema, interpretou personagens de Rubem FonsecaPlínio Marcos e Nelson Rodrigues. Em 1982, Fischer ganhou dois prêmios de melhor atriz por “Amor Estranho Amor”, de Walter Hugo Khouri.

Protagonizou dois ensaios para a revista Playboy, em agosto de 1982 e janeiro de 2000, sendo que nesse último ensaio fez fotos nua em Paris, aos 48 anos, clicada pelo renomado fotógrafo Bob Wolfenson.

É mãe de dois filhos: A também atriz Rafaela Fischer, nascida em 1979, que teve com Perry Salles, e Gabriel, nascido em 1993, filho de Camargo.

Em 1º de setembro de 1993, aos 41 anos, foi capa da Revista Veja – com a chamada de capa O Furacão Loiro aos 40 – sobre o grande momento que vivia em sua carreira profissional na minissérie Agosto, na peça Desejo, de Eugene O’Neill e em Forever, filme sexo-cabeça de Walter Hugo Khouri.

Em 2000, ganhou o prêmio Melhores do Ano – Domingão do Faustão, na categoria Melhor Atriz, por sua atuação como a protagonista Helena, na novela Laços de Família, de Manoel Carlos. Apesar de ter feito inúmeros personagens importantes na Rede Globo, como nas novelas Coração AladoBrilhanteMandalaPerigosas PeruasLaços de FamíliaO Clone e nas minisséries Riacho DoceDesejoAgosto e Amazônia, de Galvez a Chico Mendes, a atriz se queixou, na mídia, da falta de bons convites e papéis para a TV: “Para eu voltar às novelas quero um personagem de verdade. Sou uma atriz.” definiu. [Carece de fontes]

Foi indicada quatro vezes ao Troféu Imprensa, na categoria Melhor Atriz como: Luiza Sampaioem Brilhante em 1981, Jocasta Silveira em Mandala em 1987, Helena em Laços de Família em 2000 e Ivete em O Clone em 2001 Seu último trabalho na televisão foi na telenovela Salve Jorge, em 2012, no qual interpretou a vilã Irina.

Vera Fischer foi internada por decisão própria, em julho de 2011, numa clínica de reabilitação para dependentes químicos, na Barra da Tijuca, pois ainda não se livrara do vício em drogas. Essa é a terceira vez que se internava.

Em 2015, Vera retornou aos palcos paulistanos após 17 anos com a peça Relações Aparentes, do britânico Alan Ayckbourn. Em entrevista ao programa Altas Horas, de Serginho Groisman, a atriz afirmou que se apaixonou apenas duas vezes na vida: uma vez por Perry Salles, seu primeiro marido, e outra por seu segundo marido, Felipe Camargo.

No teatro, atua em grandes produções, como Negócios de EstadoMacbeth (1992), Desejo(1993), Gata em Teto de Zinco Quente (1998), A Primeira Noite de um Homem (2004) e Porcelana Fina (2006).

Voltou as novelas no ano de 2018, como coadjuvante na trama do horário da 6, Espelho da Vida. Em 2019 Vera Fischer retorna ao cinema, depois de 16 anos longe e com mais de 20 filmes no currículo, como protagonista de “Quase alguém”, O filme fala sobre a busca incansável de uma grande atriz, que vive um grave e intenso drama pessoal, e ao lançar seu livro auto- biográfico “Quase Alguém” tenta a redenção de todos que possivelmente magoou em sua vida, especialmente sua filha. Conta com a direção de Daniel Ghivelder.

Vera Fischer também é uma das Homenageadas na Próxima Edição do Livro As Misses Do Brasil de 1922 a 2019 O Primeira Edição do Livro As Misses do Brasil de 1922 a 2011 foi lançado em São Paulo Capital Segunda Edição foi lançada no Ano de 2016 e em breve será lançada uma nova Edição atualizada com a história e a origem das soberanas da Beleza do Concurso Miss Brasil.

Obrigado a todos pelo carinho e consideração ao meu trabalho sejam sempre bem vindos.
Conde Roberto Sécio “COBLAC” Corte Brasileira de Letras, Artes e Ciência Coblac Brazil”; Comendador desde 2009 “Academia de Letras Arte Cultura e História”; Autor do Livro Misses Do Brasil de 1922 a 2015 e Jornalista ABIME – Associação Brasileira de Imprensa de Mídia Eletrônica.

Filmografia:

Ano Título Personagem
1977 Espelho Mágico Diana Queiroz / Débora
1978 Sinal de Alerta Sulamita Montenegro (Sula)
1979 Os Gigantes Helena Porto
1980 Coração Alado Vívian Ribas
1981 Obrigado, Doutor Helena (Episódio: Por um Fio de Vida)
Brilhante Luiza Sampaio
1983 Quarta-Nobre Claudia Prado
1986 Sinhá Moça Alcina
1987 Mandala Jocasta Silveira
1988 Tarcísio e Glória Lucrécia
1990 Riacho Doce Eduarda
Desejo Ana Emília Ribeiro da Cunha Assis (Saninha)
1992 Perigosas Peruas Maria Aparecida Falcão Belotto (Cidinha)
1993 Agosto Alice
1994 Pátria Minha Lídia Thompson Laport
1996 O Rei do Gado Nena Mezenga (1ª Fase)
1998 Você Decide Annie
Pecado Capital Laura Medeiros Lisboa
1999 O Belo e as Feras Celeste
2000 Laços de Família Helena Lacerda Soriano
2001 O Clone Yvete Simas Ferraz
2003 Agora É que São Elas Antônia Mendes Galvão
2004 Senhora do Destino Vera Barroso (Mrs. Robinson)
2005 América Úrsula Garcez
2007 Amazônia, de Galvez a Chico Mendes Lola
Duas Caras Dolores Maciel
2008 Casos e Acasos Vera (Episódio: “O Desejo Escondido)
Vera (Episódio: O Cara Deprimido e “O Livro Roubado)
2009 Caminho das Índias Chiara Bittencourt
2010 Afinal, o Que Querem as Mulheres? Celeste Monteiro
2011 Insensato Coração Catarina Diniz
2012 Salve Jorge Irina Drummond (Simone)
2016 Tá no Ar: a TV na TV Helena Lacerda Soriano
2018 Malhação: Vidas Brasileiras Ana Tanquerey
Espelho da Vida Maria do Carmo Vilela (Carmo)
Assédio Haydée

Cinema:

Ano Título Papel
1972 Sinal vermelho – As fêmeas Angela
1973 A Superfêmea Eva
Anjo Loiro Laura
As Delícias da Vida Fernanda
1974 Essa Gostosa Brincadeira a Dois Lígia
As Mulheres que Fazem Diferente Marília
Macho e Fêmea Juliano (Mulher)
1975 Intimidade Tânia Velasco
1980 Perdoa-me por me traíres Judite
1981 Bonitinha mas Ordinária ou Otto Lara Resende Ritinha/Bonitinha
Eu Te Amo Barbara Bergman
1982 Amor estranho amor Anna
Dora Doralina Dora
1984 Amor Voraz Anna
Quilombo Ana de Ferro
1989 Doida Demais Letícia
1990 O Quinto Macaco Mrs. Watts
1991 Forever Cristina Teller
1993 Fala Baixo, Senão Eu Grito
1997 Navalha na Carne Neuza Suely
2002 Xuxa e os Duendes 2 – No Caminho das Fadas Rainha Dara
2019 Quase Alguém Gilda Borba

Teatro:

Prêmios e indicações:

Ano Categoria Festival Trabalho indicado Notas
1977 Melhor atriz Prêmio APCA Intimidade Venceu
1981 Melhor Atriz Troféu Imprensa Brilhante Indicado
1982 Melhor Atriz Festival de Brasília – Troféu Candango Amor Estranho Amor Venceu
1987 Melhor Atriz Troféu Imprensa Mandala Indicado
2000 Melhor Atriz Troféu Imprensa Laços de Família Indicado
Melhor Atriz Melhores do Ano – Domingão do Faustão Laços de Família Venceu
2001 Melhor Atriz Troféu Imprensa O Clone Indicado

Foto Numero 01.Capa do Livro de Roberto Secio Autor da Segunda Edição do Livro As Misses Do Brasil de 1922 a 2017.

Foto Numero 02.Vera Fischer Miss Santa Catarina desfilando de maio no Concurso Miss Brasil 1969.

Foto Numero 03 Vera Fischer Sendo coroada Miss Brasil 1969 por Marta Vasconcelos Miss Bahia 1968Miss Brasil 1968 e Miss Universo 1968.

Foto Numero 04.Vestido Original que Vera Fischer Desfilou no Concurso Miss Brasil 1969 e no ConcursoMiss Universo 1969. Confeccionado por Guilherme Guimarães, vestido foi usado quando ela foi coroada Miss em 1969 (Foto: Ellen Soares/Gshow)

Foto Numero 05.Vera Fischer com seu  Vestido de Galã e seu Traje Tipico no Concurso Miss Brasil 1969.

Foto Numero 06.Vera Fischer Miss Brasil 1969  Capa da Revista O Cruzeiro 10 de Julho de 1969. Com a Faixa e a Coroa e o Manto sendo Coroada por Marta Vasconcelos Miss Bahia 1968 Miss Brasil 1968 e Miss Universo 1968.Vera Fischer  Miss Brasil 1969 Capa da Revista Fatos e Fotos 17 de de Julho 1969. Vera Fischer  Miss Brasil 1969 sendo coroada por Marta Vasconcelos Miss Bahia 1968 Miss Brasil 1968 e Miss Universo 1968.

Foto numero 07. Foto Atual de Vera Fischer em seus 50 Anos de Reinados no Concurso Miss Santa Catarina e Miss Brasil 1969. 
Foto numero 08. Capa  do Livro de Vera Fischer sobre sua Historia e Biografia no Concurso Miss Brasil 1969.
Foto numero 09.Vera Fischer Segurando o seu Livro sobre sua Historia e Biografia no Concurso Miss Brasil 1969.

Leia Mais

Martha Rocha, Miss Brasil 1954: a Mais Bela entre todas

Maria Martha Hacker Rocha, a nossa Martha Rocha, nasceu no dia 19 de setembro de 1936, em Salvador – BA. Ela é a sétima filha do casal Álvaro Rocha e Hansa Rocha.

Aos 18 anos, participou do concurso Miss Bahia 1954 , venceu e logo após tornou-se Miss Brasil 1954. Em julho do mesmo ano, chegou aos Estados Unidos e não demorou para figurar nas pesquisas como favorita ao Miss Universo. Embora as pesquisas apontassem a vitória, Martha perdeu o título para a norte-americana Miriam Stevenson, conquistando a segunda colocação. Na época, a explicação se deveu a duas polegadas a mais nos quadris.

A história das duas polegadas foi uma invenção de João Martins, jornalista da Revista “O Cruzeiro”, para consolar o povo brasileiro. Tudo foi combinado com os demais jornalistas brasileiros que estavam em Long Beach. A própria Martha autorizou a versão. “Nem eu soube se essa história de duas polegadas teria sido verdade mesmo”, relata Martha em sua autobiografia.

Como fato curioso, em 1956 a Chevrolet lançava no Brasil a picape 3100 com duas polegadas (5 cm) a mais na distância entre eixos que nos modelos convencionais. O utilitário é ainda hoje apelidado de Martha Rocha.

A Miss casou-se cedo com o banqueiro português Álvaro Piano e com ele teve dois filhos Álvaro Luis e Carlos Alberto Piano. Pouco depois, seu marido faleceu em um acidente de avião. Voltou ao Brasil com 23 anos e em 1961 casou-se com Ronaldo Xavier de Lima e teve uma filha Claudia Xavier de Lima.

A partir de 1996, passou a aparecer em júris de concursos de beleza se tornando a primeira miss a cobrar cachê para tanto. Em entrevista publicada em abril de 2006 pela revista IstoÉ, Martha explicou que era uma necessidade, pois no ano anterior perdera todo o dinheiro que tinha com a falência de uma instituição financeira (a Casa Piano) comandada à época por um de seus familiares no Rio de Janeiro.

Em 2000, descobriu ser portadora de câncer de mama após assistir a uma reportagem televisiva sobre mutirões de saúde que promoviam o autoexame. A partir daí, Martha passou a ter outro estilo de vida. Nessa época, mudou-se do Rio para Volta Redonda, onde reside um de seus filhos.

Em 2004, Martha foi homenageada com uma exposição itinerante de fotos de sua trajetória como Miss Brasil. Nesse ano, o concurso chegava ao seu 50º aniversário.Atualmente Marta Rocha reside no Rio de Janeiro junto com seu filho.

Em 2011 Marta Rocha e homenageada na primeira Edição do Livro As Misses do Brasil de 1922 a 2011 o Livro encontra se na segunda Edição lançado em 2016 e a Primeira Edição do Livro será lançada no Brasil em 2019.

Obrigado a todos pelo carinho e consideração ao meu trabalho sejam sempre bem vindos.
Conde Roberto Sécio “COBLAC” Corte Brasileira de Letras, Artes e Ciência Coblac Brazil”; Comendador desde 2009 “Academia de Letras Arte Cultura e Historia”; Autor do Livro Misses Do Brasil de 1922 a 2015 e Jornalista ABIME – Associação Brasileira de Imprensa de Mídia Eletrônica.

Explicação das fotos:
Foto numero 1:  Martha Rocha, Isabelita Dos Patins.

Foto 2: Capa do Livro Roberto Secio “As Misses do Brasil”, no qual Martha Rocha é uma das homenageadas.

Foto 03: Revista “O Cruzeiro”, 1963.
– No alto: Terezinha Morango, Miss Brasil 1957(Amazonas) e vice Miss Universo 57.
– Meio à esquerda: Vera Ribeiro, Miss Brasil 1959(RJ), quinta colocada no Miss Universo 59.
– Meio à direita: Marta Rocha, Miss Brasil 1954(BA), vice Miss Universo 54.
– Inferior à esquerda: Ieda Vargas, Miss Brasil 1963 (RS) e Miss Universo 63.
– Inferior à direita: Maria Olívia Rebouças, Miss Brasil 1962 (BA) e quinta colocada no Miss Universo 62.
Foto Numero 04:  Martha Rocha Concurso Miss Bahia 1954.
Foto Numero 05:  Martha Rocha com a Faixa de Miss Brasil 1954, sendo colocada pelo poeta e escritor Manoel Bandeira.
Foto Numero 06: Marta Rocha Capa da Revista O Cruzeiro (matéria sobre a vitória dela no Concurso Miss Brasil no Hotel Quitandinha do Estado do Rio de Janeiro)
Martha Rocha Miss Brasil 1954 ao lado da grande amiga Adalgisa Colombo, Miss Brasil 1958.
Ambas são vice no concurso Miss Universo de seus respectivos anos.
Foto 09: Marta Rocha No Concurso Miss Universo. edição da Revista Noite
Ilustrada do Jornalista Irineu Marinho Pai do Fundador da Rede Globo Roberto Marinho.
Leia Mais