Notícias

Home/Claudia Braune/Filtros da comunicação

Filtros da comunicação

Na semana passada escrevi sobre os órgão dos sentidos, toda a nossa sensibilidade e a nossa capacidade de aprender através dos estímulos sensoriais, que geram uma fisiologia, ou seja,  reações corporais involuntárias, como pressão arterial e batimentos cardíacos, mas também  um comportamento consciente, como vamos reagir diante dos estímulos recebidos do mundo externo – ataque ou fuga.  A tensão é natural da vida, os músculos precisam trabalhar, mas o que entendemos como estresse é o acumulo de tensão. Não saber relaxar, não saber ouvir os outros ou não saber ficar em silencio. Tudo isso  pode  causar danos comportamentais e fisiológicos, como os distúrbios digestivos, insônia e outros.

Qual a melhor maneira de evitar o estresse, ou como sair dele?  Como podemos filtrar toda essa carga excessiva e aprender a relaxar? O mestre de yoga, especialista em atletas de alto desempenho, Orlando Canni, tem uma frase que diz –  A imaginação é um meio psicológico que influencia o meio fisiológico e a respiração é um meio fisiológico que influencia o meio psicológico. A nossa fisiologia –  pressão arterial, batimentos cardíacos e todo sistema nervoso autônomo, inconsciente –  é altamente influenciada pela nossa respiração, pela nossa imaginação também. A imaginação é um excelente recurso para criarmos estados mais positivos e recuperarmos a nossa clareza mental. Mas se ficamos viciados em padrões negativos,  usando os piores pensamentos e medos  para imaginarmos coisas terríveis, que não aconteceram ainda, de certo que estaremos mais estressados e adoecidos a cada dia.

Voltando ao assunto da respiração, em sua palestra no evento Natureza Escondida, sobre o meio ambiente ( dia 08 de junho de 2018), o mestre de yoga, com seus  82 anos, mudou a vida das pessoas ali presentes, mostrando a importância da respiração. Os estados de tensão causam uma respiração mais curta, tendendo para a retenção do ar, toxina e gás carbônico presos mais tempo dentro do nosso sistema orgânico, então para relaxar, para alcançar os benefícios todos do relaxamento, é necessário soltar o ar na expiração.  Exalar todo o ar, esvaziar o nosso corpo e a nossa mente.  Apenas aprendendo a respirar melhor, podemos aprender a filtrar mais o que sai e o que entra do nosso precioso ser.

Os filtros da comunicação (omissão, generalização e distorção – podem ser usados de forma positiva para montar um quebra cabeças ou para manipular as informações que não queremos compartilhar)  são as nossas escolhas conscientes, mas também a nossa intuição que vem de um lugar pleno, conhecido e estabelecido pela nossa imaginação, a nossa pratica da respiração e a nossa percepção do mundo. Aconteça o que acontecer, eu tenho consciência de que posso usar os melhores recursos e observar cada situação com distanciamento. Em algumas situações o olhar deve ser pontual, profundo, mas em outras, pode ser melhor a visão geral, a percepção maior da situação.  Filtrar significa investigar, usar a intuição para descobrir o sentido  – o inicio, o meio e o fim –  sabendo descartar o que não é da nossa responsabilidade, da nossa área ou da nossa competência.