Notícias

Home/Entretenimento/Veja 5 bons motivos para incluir a aveia em sua alimentação – por Dr. Henrique Brust

Warning: call_user_func_array() expects parameter 1 to be a valid callback, function 'format_aside' not found or invalid function name in /home/versatecnologia/portaldovillarino.versatecnologia.com.br/wp-content/themes/VersaSite/single.php on line 62

Veja 5 bons motivos para incluir a aveia em sua alimentação – por Dr. Henrique Brust

Eis 5 bons motivos para se “render” à aveia, um dos cereais mais nutritivos e versáteis. Proteína, fibra, cálcio, ferro, magnésio, fósforo, potássio, sódio, vitamina B1, vitamina B2, vitamina B3 e ácido fólico são os principais componentes da aveia.

Aveia – Foto: reprodução

Como a moderação é a palavra de ordem, o consumo regular e equilibrado de aveia tem um impacto verdadeiramente positivo na saúde. Conheçam bons motivos para adotar, de vez, este cereal:

1 – Coração mais saudável. Por conter beta-glucano (um tipo de fibra), a aveia é capaz de facilitar a redução dos níveis de colesterol, um dos fatores que mais promove a boa saúde cardiovascular.

2 – Mais saciedade. Os elevados níveis de fibra solúvel e insolúvel presentes na aveia fazem deste cereal um dos melhores ‘combustíveis’ para o organismo, promovendo uma sensação de saciedade a longo prazo.

3 – Sistema digestivo mais eficaz. Novamente, a fibra presente neste cereal assume-se como a protagonista do seu impacto positivo no organismo, sendo a responsável pelo bom funcionamento do sistema digestivo, o que, por si só, previne condições como a prisão de ventre.

4 – Oferece um vasto leque de nutrientes. Além de todos os micro e macronutrientes mencionados, a aveia possui ainda ácidos gordos ómega 3, um outro componente que favorece não só a saúde do coração, como também a memória. Além disso, traz benefícios ao sistema imunitário.

5 – Mantém a diabetes afastada. Ao conseguir regular de forma eficaz os níveis de açúcar no sangue, o consumo regular de aveia mostra-se, assim, capaz de prevenir o aparecimento da diabetes tipo 2.


Por: Dr. Henrique Brust